Diego Hypolito já fala em ficar no Fla

Mesmo sem obter uma resposta positiva do Flamengo, o ginasta Diego Hypolito amenizou o discurso e, agora, já não tem receio em afirmar que permanecerá no clube. Mas, há 13 dias, o atleta foi enfático ao informar que tinha três propostas para deixar o Rubro-Negro, caso a agremiação não aceitasse lhe pagar salários.Na ocasião, Diego veio ao Rio para se reunir e ser homenageado pelos dirigentes do Flamengo, por causa da conquista do título de campeão mundial dos exercícios de solo, obtido no final de novembro, na Austrália. Durante o encontro, o ginasta declarou por várias vezes seu amor ao clube mas não se intimidou em condicionar sua permanência no Rubro-Negro ao conseqüente recebimento de salários.Até porque, para barganhar um contrato a seu favor, Diego assegurou ter recebido propostas vantajosas para deixar o Rio, dentre elas, havia uma que contratava, também a sua irmã, Daniele Hypolito, e o técnico Renato Araújo.?Lógico que vou continuar. Sei que vou continuar. Eu quero continuar porque amo o Flamengo?, disse Diego, durante a cerimônia do Prêmio Brasil Olímpico, segunda-feira, no Teatro Municipal. A nova argumentação do ginasta é bem diferente da apresentada na reunião do dia dois de dezembro: ?é mais do que justo ganhar salário e eu quero receber. Tenho onze anos no clube e preciso aproveitar o meu momento (com a conquista do título mundial). Se eu não fizer meu pé-de-meia agora, não sei o que vai acontecer no futuro.? E até sobre o valor do salário mensal que deseja receber o ginasta mudou o tom. No dia 2, ele se referiu ao montante de dez mil reais ? quantia recebida por sua irmã no auge das conquistas ? como um parâmetro ideal. Mas, na segunda-feira, contestou e até negou que tenha sugerido a cifra.?Não falei que queria receber dez mil. Fizeram uma comparação sobre quanto a Daniele e a Daiane (dos Santos) ganhavam. E achei justo o valor pelas conquistas delas tão importantes quanto as minhas. Mas não pedi isso tudo?, afirmou Diego. No final de semana, o atleta entrará de férias e, na segunda-feira, virá com a família para o Rio. Ao chegar, entrará em contato com os dirigentes rubro-negros para marcar a reunião decisiva sobre seu futuro. De acordo com ele, até o início de janeiro o seu destino será resolvido.

Agencia Estado,

14 de dezembro de 2005 | 17h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.