Diego Hypólito não executa salto, mas vai à final em Paris

Para simplificar a série e não comprometer classificação para a final da Copa do Mundo de Paris, Diego Hypólito não executou neste sábado, na eliminatória do solo, o movimento Hypólito II - um duplo twist grupado com pirueta no segundo mortal. Neste domingo, na final (à partir das 6h30 de Brasília, com SporTV), que reúne os oito melhores ginastas por aparelho, Diego faz mistério se irá ou não apresentar seu salto inédito.Ele se classificou para a decisão com a quarta posição, com 15.275 pontos, atrás do chinês Kai Zou (16.025), do romeno Marian Dragulescu (16.025) e do casaque Stepan Gorbachev (15.275).?Resolvi fazer uma série de solo mais simples nas eliminatórias. Mas, na final vou mudar completamente a minha série e deverei fazer um dos ?Hypolitos? para brigar por um lugar no pódio?, disse Diego.Além do solo, ele competiu nas argolas - para chegar mais completo ao Pan do Rio de Janeiro e Mundial da Alemanha -, terminando na 26.ª posição e no salto em 14.º. Outros brasileiros na competição, Victor Rosa terminou em 34.º no solo. Mosiah Rodrigues foi o 25.º no cavalo com alças. Caio Costa o 25.º nas argolas. Na barra fixa, Mosiah foi 18.º e Victor, 22.º. Entre as garotas, Jade Barbosa confirmou ser uma ginasta técnica e completa, ao garantir vaga na final de três dos quatro aparelhos (solo, salto, trave e barras assimétricas). Em sua primeira competição internacional de peso, a garota de 16 anos tem chance de subir ao pódio nas barras assimétricas, classificada em terceiro lugar. No solo, terminou em oitavo; no salto, em sétimo; e na trave, em décimo. Outra atleta, Juliana Santos, obteve sua melhor posição no solo: 13.º lugar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.