Diego Hypólito quer igualar o feito de Daiane

Campeão mundial na prova de solo no ano passado em Melbourne, na Austrália, o ginasta Diego Hypólito fará seu primeiro teste na temporada 2006 na Copa do Mundo de Lyon, na França, no próximo fim de semana. Há mais de duas semanas treinando no Rio de Janeiro - deixou a seleção permanente em Curitiba, onde morou por quase três anos, para voltar a treinar no Flamengo com o técnico Renato Araújo -, ele garante que não saiu ?brigado? com ninguém. Para a temporada 2006, Diego tem um objetivo ambicioso. Quer que o seu novo salto, um duplo twist carpado com pirueta, seja aceito pela Federação Internacional de Ginástica da mesma forma que a entidade fez com o ?Dos Santos?, movimento criado por Daiane dos Santos. Em etapas da Copa do Mundo, Diego tem cinco medalhas de ouro no solo. Sua coleção poderia ter sido maior se ele não tivesse sofrido uma fratura na tíbia que o deixou seis meses parado no ano passado.Agência Estado - Como foi sua saída de Curitiba?Diego Hypólito - Saí da equipe permanente porque queria treinar com o Renato, com quem treinei por 11 anos. Não foi nada particular, não saí brigado com ninguém. Aliás, saí super bem, tranqüilo. A seleção faz um convite para treinar em Curitiba, nenhum atleta é obrigado a ficar lá.AE - Não tem medo de retaliação?Diego - Não. Saí de lá pela porta da frente. Estou feliz.AE - O que espera da disputa em Lyon?Diego - Essa etapa será uma avaliação para saber como estou diante do novo código de pontuação da Federação Internacional de Ginástica. As notas de partida não sairão mais de 10, mas de 16,50. Isso significa que os atletas terão de fazer séries mais longas e precisas.AE - Quando você estreará sua nova série? Diego - A minha série está pronta. Mas ainda não sei se vou estrear o duplo twist carpado com pirueta. Talvez eu deixe para apresentar em alguma etapa mais próxima do Mundial, no segundo semestre.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.