Diego se poupa e desiste de provas

Ginasta e seu técnico resolveram dar prioridade ao solo em Pequim, descartando a disputa do individual geral

Bruno Lousada e Valéria Zukeran, O Estadao de S.Paulo

11 de julho de 2008 | 00h00

Por causa das dificuldades encontradas em sua fase de preparação para os Jogos de Pequim - contraiu dengue e foi submetido a uma cirurgia no joelho direito -, Diego Hypolito tomou uma decisão radical. Na Olimpíada dará prioridade à prova de solo, na qual tem dois títulos mundiais. O ginasta abriu mão da disputa da prova individual geral para não correr riscos desnecessários. "Ele pegou uma ordem complicada na disputa do individual geral na Olimpíada. O solo seria o último e Diego chegaria muito cansado para fazer a série. Seria muito arriscado", explicou o técnico Renato Araújo, ciente de que a preparação do ginasta para a China não foi normal.Diego, no entanto, disputará outras medalhas individuais. "Vou competir no salto, onde tenho alguma chance de medalha, embora seja difícil, e ainda não defini se participarei nas barras paralelas e barra fixa", disse o ginasta. "Vou disputar em algumas provas para não chegar frio na hora do solo." Neste ano, Diego Hypolito ficou pouco mais de um mês sem treinar por causa de uma artroscopia no joelho direito, realizada no dia 25 de março, e por ter sido vítima da epidemia de dengue que assolou o Rio. Ele chegou a perder cerca de três quilos neste período. O ginasta de 22 anos já deu exemplos de superação e por isso se mostra tranqüilo. Em 2005, seis meses antes do Mundial de Melbourne, na Austrália, ele teve seu pé direito operado, mas se recuperou a tempo de subir no lugar mais alto do pódio. "Todos os anos é a mesma coisa: tenho de lidar com as lesões. Simplesmente passei por tudo de novo."Na reta final de preparação para Pequim, Diego Hypolito teve bom desempenho e faturou a medalha de ouro no solo no Torneio Vitaly Scherbo, na Bielo-Rússia, em junho. Na ocasião, o Brasil encerrou sua participação na competição com cinco medalhas, sendo quatro de ouro e uma de bronze. "Foi nesse torneio que decidimos dar prioridade ao solo na Olimpíada e abrimos mão de outros aparelhos", explicou Renato.Sobre sua apresentação no solo em Pequim, Diego explica que não só usará o movimento Hypólito como fará uma performance com um grau de dificuldade superior ao que apresentou quando ganhou o Mundial. "Em um dos saltos, dava uma pirueta de 180 graus e agora darei mais 360 graus no mesmo eixo, além dos 180 graus. Fora isso, mudarei a parte final, onde dava um salto grupado, com a perna flexionada. No lugar, farei um duplo twist carpado."Para Renato Araújo, apesar dos contratempos, Diego é um dos favoritos para conquistar a medalha de ouro em Pequim.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.