Diego Souza, o reencontro

Meia já viveu bons momentos contra o São Paulo, mas esteve fora no último confronto

Daniel Akstein Batista, O Estadao de S.Paulo

24 de maio de 2009 | 00h00

É inegável que o São Paulo faz parte de um capítulo especial na carreira de Diego Souza. Foi contra os paulistas que ele ganhou destaque quando defendia o Grêmio em 2007 e marcou um dos gols da vitória por 2 a 0 que eliminou o rival da Taça Libertadores, nas oitavas de final. Com a camisa do Palmeiras, também deixou sua marca no triunfo por 4 a 1, em 2008, pelo Estadual. Nos últimos dois confrontos entre os times, porém, o atleta passou em branco.No Brasileiro do ano passado, pelo segundo turno, foi expulso logo no início do jogo. E, no Campeonato Paulista deste ano, desfalcou a equipe, já que levou cartão vermelho uma partida antes. "Esperei um tempão por aquele jogo e fiquei chateado (por ficar fora)", disse. "Agora, vou ter uma nova oportunidade de enfrentá-los."Diego fala em coincidência por ter melhor rendimento quando enfrenta o São Paulo. "É de momento. Se derem espaço para jogar, eu jogo. E tem vezes que a bola sobra mais pra você", explicou.O camisa 7 do Palmeiras quase ficou fora do clássico de hoje. Na segunda-feira, foi julgado pelo Tribunal de Justiça Desportiva pela agressão ao zagueiro Domingos, do Santos, na semifinal do Estadual, e poderia pegar até 540 dias de suspensão. Como a pena foi em jogos (oito), só vai cumpri-la no Paulista de 2010.Hoje, Diego deve atuar mais ofensivo, ao lado de Keirrison. Não é sua posição preferida, mas aceita o pedido de Vanderlei Luxemburgo. "Gosto de jogar atrás dos atacantes, como meia", disse.O atleta está num momento diferente daquele em que chegou ao clube, no ano passado. Contratado a peso de ouro (cerca de R$ 10 milhões), recebeu críticas da torcida e até do então presidente Affonso Della Monica. Rebateu, em tom de desabafo. Em 2009, conquistou o apoio dos palmeirenses. "Estou bastante feliz aqui. No ano passado não foi tão bom, mas agora está sendo", afirmou o meia, que deseja voltar a atuar na Europa - já defendeu o Benfica, de Portugal. "Qualquer jogador sonha em disputar uma Copa dos Campeões", contou.Diego Souza sabe que uma vitória hoje será fundamental para reerguer o ânimo do time, abalado após a derrota para o Internacional na semana passada. Quer, principalmente, piorar a fase do São Paulo. "Nossa equipe vive um momento melhor, mas isso não quer dizer que vamos ser superiores", declarou. "É sempre bom vencer um clássico, a gente fica mais animado. E é importante ganhar para abrir vantagem sobre eles."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.