Alex Silva/AE
Alex Silva/AE

Diego Tardelli é o 'camarão' sonhado por Felipão

Atacante pede alto para assinar com o Palmeiras, que oferece salário menor; Atlético de Madrid tenta seduzir Scolari

DANIEL BATISTA, O Estado de S.Paulo

20 de dezembro de 2011 | 03h04

O técnico Luiz Felipe Scolari já disse algumas vezes que sua maior preocupação é com o ataque do Palmeiras, que desde a saída de Kleber está órfão de um jogador de peso. Por isso, a diretoria trabalha para conseguir contratar o "camarão" pedido pelo treinador. O alvo, no caso, é Diego Tardelli.

O jogador está na lista dos nomes pedidos por Felipão e a conversa com os dirigentes do Anzhi, da Rússia, está bem adiantada. Oficialmente, os russos falam que não aceitam iniciar negociação por menos de 11 milhões (R$ 26,4 milhões), mas o fato é que eles toparam que o Palmeiras pague 6 milhões (R$ 14,4 milhões) parcelados, valor que o clube já teria conseguido, graças à ajuda de parceiros.

Mas contratar grandes jogadores não está sendo fácil para o Palmeiras. O que emperra é o salário. Tardelli está disposto a voltar para o Brasil, mas pede R$ 450 mil por mês para defender o Alviverde. O presidente Arnaldo Tirone acha o valor muito elevado e aceita pagar, no máximo, R$ 350 mil, quantia que seria paga a Kleber caso ele tivesse ficado.

O problema é que outros times brasileiros também estão na briga. O maior adversário é o Vasco, que corre o risco de perder Elton e Alecsandro e, por isso, aposta alto para ter um atacante "top" na disputa da Libertadores do ano que vem.

Tardelli aguarda por um desfecho feliz. Ele quer ficar no Brasil. Ontem, mostrando estar receoso de que seu objetivo não se concretize, afirmou que não tem nenhuma proposta de times brasileiros.

"Até hoje não recebi nenhuma proposta oficial do Brasil. Tudo o que sai é de pessoas que não têm o que fazer e ficam inventando coisas. Fico muito feliz pelo interesse de alguns clubes, mas prometo a todos que não passou disso. Estou de férias e só depois do dia 23 vou definir", escreveu.

O fato é que ele realmente não tem a proposta oficial. A conversa de valores foi informal, sem ter nada no papel, já que o Palmeiras ainda não tem condições de arcar com o valor.

Caso não acerte com Tardelli, a diretoria vai continuar a atirar para todos os lados. Obina, Loco Abreu e Taison já foram sondados. Reforços mais modestos também, como André Lima e Alecsandro, também já apareceram na lista e podem até voltar a ser procurados nos próximos dias. Outra opção seria William, que ontem não se reapresentou ao Avaí e fez com que aumentasse o boato de que estaria contratado pelo Alviverde.

Como o Atlético-MG está interessado em continuar com Pierre, Felipão pediu o empréstimo de dois do trio Bernard, Richarlyson e Neto Berola, mas a diretoria atleticana não aceitou.

Preocupados em não frustrar seus torcedores, a diretoria palmeirense resolveu que não vai mais dar entrevistas comentando sobre possíveis reforços. "O melhor neste momento é trabalharmos bastante e evitarmos falar de nomes, pois só atrapalham as negociações", disse o gerente de futebol, César Sampaio.

Proposta por Felipão. Até o final da semana o Atlético de Madrid vai formalizar uma proposta ao técnico Felipão. O empresário do treinador, Jorge Mendes, vai se reunir nos próximos dias com representantes do clube espanhol para ouvir o que eles têm a oferecer. Enquanto isso, Gregorio Manzano, atual treinador do Atlético, continua no cargo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.