Agência Brasil
Agência Brasil

Dilma celebra 1ª década do Bolsa Atleta e exalta superação no esporte

43 mil bolsas foram distribuídas a 17 mil atletas durante dez anos

Isadora Peron e Rafael Moraes Moura, Estadão Conteúdo

27 de agosto de 2015 | 18h05

A presidente Dilma Rousseff comemorou os 10 anos do Bolsa Atleta nesta quinta-feira recepcionando os esportistas que defenderam o Brasil nos Jogos Pan-Americanos e Parapan-Americanos de Toronto, no Canadá.

Em evento que contou com a presença do presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB) e do Comitê Organizador dos Jogos Rio-2016, Carlos Nuzman, Dilma parabenizou os medalhistas brasileiros e tratou de exaltar os resultados obtidos pelo Bolsa Atleta.

"Ao completar a primeira década, o Bolsa Atleta, que muitos falavam que não ia dar certo, quando a gente faz o balanço fica claro que, no teste de escala, o programa passou. Nós concedemos, agora em 2015, 6.093 bolsas e, em 2005, eram 975. Ao todo são 43 mil bolsas nesses 10 anos", enumerou a presidente.

Para Dilma, o programa comandado pelo Ministério do Esporte será o maior legado dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. "Com esse ânimo é que nós pretendemos caminhar para assegurar que o maior legado das nossas Olimpíadas e Paralimpíadas seja essa formação de atletas de alto rendimento e de massificação de todos os esportes", declarou.

A presidente também lembrou das histórias de superação protagonizadas pela delegação brasileira em Toronto. "Sempre é comovente a gente ver histórias de superação e todos os atletas têm uma história de superação", afirmou Dilma. "Todas elas são exemplo de conduta, de vida, de compromisso com a ética. Tem alguns ensinamentos que o esporte mostra para todos nós, esse ensinamento é uma história de superação."

Ao falar do nadador Thiago Pereira, Dilma destacou que ele se tornou o esportista mais premiado das edições dos Jogos Pan-Americanos, ao conquistar uma medalha de ouro no revezamento 4x100 metros medley. Com sua 23ª medalha, o brasileiro superou a marca do ginasta cubano Erick López, que havia conquistado 22.

Dividido em seis categorias, o programa Bolsa Atleta prevê patrocínio de R$ 370 (para atletas de base) até R$ 15 mil, para ajudar atletas com chances de medalhas nos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016.

De acordo com o Ministério do Esporte, cerca de 43 mil bolsas foram concedidas para 17 mil atletas brasileiros ao longo da última década, um investimento da ordem de R$ 600 milhões. Atualmente, 6.093 atletas são beneficiados com os recursos do Bolsa Atleta, a um custo total de R$ 81,6 milhões.

No Pan de Toronto, das 141 medalhas obtidas pela delegação brasileira, 85,8% foram conquistadas por atletas e equipes que recebem o auxílio.

GAFE 

Em mais um esforço do governo de promover uma agenda positiva, a comemoração dos 10 anos do Bolsa Atleta foi marcada por uma gafe do cerimonial do Palácio do Planalto, que "barrou" a própria presidente antes do início da solenidade.

Depois de conversar e posar para fotos com esportistas no salão leste do Planalto, Dilma tentou se dirigir ao palco da solenidade, no salão nobre do palácio, mas foi "barrada". A presidente recebeu a orientação de aguardar primeiramente o deslocamento dos cerca de 150 esportistas que participaram dos Jogos Pan-Americanos e Parapan-Americanos para só depois seguir adiante.

Dilma demonstrou sinais de irritação, chamou o responsável pelo cerimonial e demorou para se sentar no palco, mesmo depois de ter o nome anunciado pelo mestre de cerimônias. O episódio durou cerca de um minuto e meio, mas deixou a presidente contrariada.

Tudo o que sabemos sobre:
Bolsa AtletaDilma RousseffRio-2016

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.