Jacques Brino/AP
Jacques Brino/AP

Dilma fica surpresa com críticas de Ronaldo aos atrasos do Brasil para Copa

Presidente demonstrou 'contrariedade' com as declarações do ex-atacante

Erich Decat e Tânia Monteiro, Estado de S. Paulo

24 de maio de 2014 | 16h24

BRASÍLIA - A presidente Dilma Rousseff ficou "chateada" e "surpresa" com as críticas do ex-jogador Ronaldo Fenômeno aos atrasos das obras para a Copa do Mundo que se inicia no próximo dia 12 de junho.

A pessoas próximas, Dilma demonstrou "contrariedade" com as declarações consideradas "despropositadas" do ex-atacante, que ocupa posto de destaque no Comitê Organizador da Copa (COL) desde 2011. Mesmo com o mal estar causado, a ordem no Palácio do Planalto, neste primeiro momento, é não polemizar nem rebater publicamente as críticas de Ronaldo, considerado "fora de moda", mas com uma história no universo do futebol. "Ele que fale o que quiser", disse um auxiliar presidencial.

As críticas de Ronaldo ocorrem após o ex-jogador ter postado, em abril, foto em uma rede social na qual chamou de "futuro presidente do Brasil" o candidato presidencial tucano e senador Aécio Neves (MG).

Na avaliação interna do governo, se fosse para ter alguma resposta, deveria partir do ministro do Esporte, Aldo Rebelo, considerado "pai da criatura" e apontado como padrinho da indicação do ex-atacante ao COL, à época comandado pelo então presidente da CBF, Ricardo Teixeira.

Parte do governo viu na atitude de Ronaldo, embora considerada "ingrata", uma forma de responder aos críticos por sua postura amena com o governo. O ex-companheiro e hoje deputado Romário Farias (PSB-RJ) e o escritor Paulo Coelho criticaram a posição de Ronaldo de forma veemente.

Desde que assumiu o posto no COL, Ronaldo se tornou um dos principais garotos-propaganda do Mundial, participando de vários eventos dos jogos realizados nas cidades-sede e no exterior. Em fevereiro, Dilma, por exemplo, entregou ao Papa Francisco, bola assinada pelo ex-atacante em evento em que a petista pediu apoio ao pontífice para a divulgação de mensagens de paz e de luta contra o preconceito durante a Copa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.