Marcos de Paula/Estadão
Marcos de Paula/Estadão

Dilma sanciona lei que concede pensão vitalícia para Lais Souza

Ex-ginasta que ficou tetraplégica em 2014 após acidente em treino para os Jogos de Inverno receberá valor mensal de até R$ 4,6 mil

Luci Ribeiro, Estadão Conteúdo

13 de janeiro de 2015 | 10h13

A presidente Dilma Rousseff sancionou lei que concede pensão especial vitalícia à ex-ginasta Laís da Silva Souza. Segundo a norma, a pensão será mensal e "em valor atual equivalente ao limite máximo do salário de benefício do Regime Geral de Previdência Social (RGPS)". Neste ano, o teto da Previdência é de R$ 4.663,75.

Laís ficou tetraplégica ao sofrer um acidente em treino de esqui aéreo ocorrido em janeiro de 2014, na cidade norte-americana de Salt Lake City, quando se preparava para competir nos Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi, na Rússia. A lei diz que a pensão é "personalíssima e não se transmite aos herdeiros da beneficiária". 

A norma, publicada no Diário Oficial da União, determina que o valor mensal da pensão será atualizado pelos mesmos índices e critérios estabelecidos para os benefícios do RGPS. A despesa "correrá à conta do programa orçamentário Indenizações e Pensões Especiais de Responsabilidade da União".

Laís, de 26 anos, participou dos Jogos Olímpicos de 2004 e 2008, em Atenas e Pequim, respectivamente, com a equipe de ginástica artística do Brasil. Depois, ela trocou de esporte e passou a competir no esqui aéreo, sofrendo o grave acidente às vésperas da Olimpíada de Inverno de Sochi. 

A pensão vitalícia para a ex-ginasta já havia sido aprovada na Câmara dos Deputados e no Senado, no ano passado, mas ainda era necessária a sanção da presidente Dilma para entrar em vigor, o que aconteceu agora.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.