Dinheiro de bancos trouxe Kaká e C. Ronaldo

Contratação dos craques só foi possível graças a empréstimos de instituições espanholas

Jamil Chade, O Estadao de S.Paulo

17 de junho de 2009 | 00h00

Com uma dívida de mais de 500 milhões (cerca de R$ 1,3 bilhão), o Real Madrid surpreendeu o mercado ao anunciar as contratações milionárias de Kaká e Cristiano Ronaldo. Mas os dois jogadores e o clube estão praticamente nas mãos de bancos. A contratação somente foi possível graças a linhas de crédito da Caja Madrid e o Grupo Santander. Segundo fontes do próprio clube, cada um dos bancos forneceu um empréstimo de 75 milhões (cerca de R$ 204 milhões) ao clube espanhol.Em garantia, o Real vai deixar com os bancos a renda que virá dos direitos de transmissão. O dinheiro das instituições espanholas vai ajudar o Real Madrid a pagar 65 milhões (R$ 177 milhões) ao Milan por Kaká e outros 94 milhões (R$ 255 milhões) ao Manchester United por Cristiano Ronaldo. Não é a primeira vez que esses bancos emprestam dinheiro ao Real ou investem no futebol. O Santander já patrocina a Copa Libertadores, que inclui o nome do banco espanhol em sua denominação oficial. Já a Caja Madrid esteve envolvida com o financiamento da compra de Luis Figo e outros craques durante a época dos "galácticos" também no Real. Para a atual temporada, um terceiro banco do país também já saiu em apoio ao novo presidente do clube, Florentino Pérez. O banco La Caixa deu 60 milhões (R$ 163 milhões) para a candidatura de Pérez em sua disputa pela presidência, segundo informações da imprensa espanhola. O Real é considerado o clube que mais renda obtém por ano no mundo, cerca de 300 milhões (R$ 816 milhões). Mas também é um dos que apresentam o maior rombo em suas contas diante das contratações dos últimos anos. GARANTIASComo garantia pelos empréstimos, a Caja Madrid e o Santander exigiram que a renda obtida pelo clube com a venda de seus direitos de transmissão de televisão sejam usados no acordo. Por ano, esse montante chegaria a 600 milhões (R$1,6 bilhão), dinheiro usado para pagar os salários e fazer contratações para a temporada.Mesmo com o apoio dos bancos espanhóis, o Real chegou a um acordo com o Milan para pagar por Kaká em parcelas. Já o Manchester United quis todo o dinheiro de uma vez por Cristiano Ronaldo para quitar as suas dívidas. Mas as instituições financeiras não poderão usar as imagens dos jogadores para promoções. Cristiano Ronaldo, por exemplo, tem um contrato de exclusividade com o banco português Espírito Santo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.