Themba Hadebe/AP-6/7/2011
Themba Hadebe/AP-6/7/2011

'Dinheiro público é para infraestrutura', diz Beckenbauer

Um dos maiores atletas alemães dá dicas do que foi feito no seu país para a Copa de 2006

Almir Leite - Enviado especial, O Estado de S.Paulo

11 de agosto de 2011 | 00h00

STUTTGART - Se existe uma coisa de que Franz Beckenbauer entende no futebol é de Copa do Mundo. Em 1970, ele encantou o mundo na Copa ganha pelo Brasil com seu futebol sóbrio, inteligente e técnico e também pela demonstração de garra, ao ficar em campo com a clavícula quebrada na decisão do terceiro lugar com a Itália. Quatro anos depois foi campeão pela Alemanha como jogador. Em 1990, levantou outra Taça Fifa, como treinador. E em 2006 comandou a organização da Copa disputada em seu país. Um currículo e tanto.

Foi escorado nesse currículo que Beckenbauer falou na manhá de quarta-feiracom exclusividade ao Estado sob os preparativos do Brasil para a Copa de 2014. Fez elogios e defendeu o emprego do dinheiro público em estádios, com ressalvas. "Estou otimista em relação ao que o Brasil está fazendo"'', disse o Kaiser, durante evento da Mercedes-Benz realizado no centro de Stuttgart para comemorar os 125 anos da invenção do automóvel.

Para ele, um dos fatores que podem levar a Copa no Brasil a fazer sucesso é a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) trabalhar próxima do Comitê Organizador Local. Por esse raciocínio, o fato de Ricardo Teixeira acumular os dois cargos não vai ser, necessariamente, negativo. "O que é preciso é que todos os setores trabalhem muito próximos e na mesma direção", aconselhou.

Com a experiência como presidente do Comitê Organizador da Copa de 2006, o que poderia dizer ao Brasil para fazer um bom Mundial em 2014?

É preciso ter um bom time na organização, pessoas com experiências em todas as áreas e disposição para o trabalho.

O Brasil tem esse bom time?

Tem sim, pelo que posso perceber. São pessoas experientes.

Mas é preciso mais do que isso...

Tem de fazer como a Federação Alemã, que trabalhou muito próxima do Comitê Organizador. Essa é a melhor situação para resolver os problemas.

O senhor é a favor do uso de dinheiro público na construção de estádios?

Pode ter, mas não só em estádios, mas em infraestrutura (para 2006, porém, quando a Fifa exigiu uma nova arena em Munique, ele procurou a prefeitura local e organizou um plebiscito para a população responder se era ou não a favor da construção da Alianz).

Esse dinheiro deve ser usado como?

Em infraestrutura, aeroportos, estradas. Outras coisas. Porque milhares de pessoas irão ao Brasil para a Copa. E também ficará como legado.

Como o senhor vê o trabalho que está sendo realizado pelo Brasil para o Mundial?

Estou otimista em relação ao que o Brasil está fazendo.

O senhor conhece o Neymar.

Neymar? Ah, ele é excelente. Vai jogar hoje (ontem) à noite? Que bom.

PARA LEMBRAR - Kaiser chefiou Copa memorável

Franz Beckenbauer foi campeão mundial como jogador (1974, na Alemanha) e técnico (1990, na Itália), mas também tem seus méritos como dirigente de futebol- até hoje é o presidente de honra do Bayern de Munique. Como chefe do Comitê Organizador da Copa do Mundo de 2006, na Alemanha, promoveu uma competição memorável, com estádios fantásticos, como a Allianz Arena, em Munique, e o Olympiastadion, em Berlim. Todos ficaram prontos com investimento de pouco mais da metade do que o Brasil estima que vá gastar para receber o Mundial de 2014 (R$ 6,1 bilhões). As 12 arenas da Copa de 2006 são atualmente utilizadas por clubes locais. Apenas três precisaram ser construídas para o evento - as demais, muitas inauguradas nos anos 20 e 30, foram somente reformadas e o custo total ficou em R$ 3,2 bilhões.

Tudo o que sabemos sobre:
Copa 2014BeckenbauerfutebolBrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.