Dave Kneale/EFE
Dave Kneale/EFE

Diretor da Volvo Ocean Race promete regata mais curta

Knud Frostad quer tornar a competição mais atrativa; também será incentivada a participação de mulheres

Agencia Estado

22 de junho de 2009 | 15h18

A próxima edição da Volvo Ocean Race - a regata volta ao mundo - deverá ser mais curta e com mais competidores, segundo o diretor geral da prova, o norueguês Knud Frostad. O dirigente afirmou nesta segunda-feira que novas medidas serão tomadas para tornar a regata mais competitiva e atrativa ao público.

Segundo Frostad, a edição de 2011/2012 da regata deverá ter apenas sete ou oito escalas, ao invés das dez etapas da edição 2008/2009. Elas serão anunciadas no final de março de 2010, entre uma lista de 34 cidades candidatas. As tripulações dos barcos também serão reduzidas de 11 para dez membros e será incentivada a participação feminina.

Com a modificações, Frostad espera que uma equipe possa ganhar o troféu com menos de 15 milhões de euros de orçamento. O objetivo é tornar a Volvo Ocean Race a primeira competição mundial de vela, apesar da crise financeira mundial.

Na edição 2008/2009, ainda em curso, os barcos percorreram 37 mil milhas náuticas (cerca de 68 mil quilômetros), desde a largada em Alicante, na Espanha, em outubro. O campeão foi o Ericsson 4, comandado pelo brasileiro Torben Grael, com uma etapa de antecipação. Na quinta-feira, os barcos partem para a décima e última etapa da regata, que vai de Estocolmo a São Petersburgo, na Rússia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.