Dirigente da Fifa defende Copa no Catar em dezembro

O príncipe jordaniano Ali bin al Hussein, um dos vice-presidentes da Fifa, defende a realização da Copa do Mundo de 2022 entre dezembro e janeiro, no inverno do hemisfério norte, para evitar as temperaturas extremas de junho e julho no país-sede, o Catar. Hussein afirmou que a mudança de datas é preferível, embora essa definição seja exclusiva do Catar e possa obrigar os campeonatos europeus a modificar seus calendários.

O Estado de S.Paulo

17 de agosto de 2012 | 03h05

"Acho que é melhor jogar no Catar no inverno. Mas isso deve ser decidido pelo anfitrião."

Em janeiro, as temperaturas em Doha, a capital catariana, oscilam entre os 12 e os 21 graus centígrados, mas entre junho, julho e agosto chegam a 41 graus de média.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.