Dirigente diz que crise beneficia Madri para Jogos de 2016

Presidente da federação espanhola de atletismo afirma que cidade tem boa parte da infra-estrutura construída

EFE,

10 de dezembro de 2008 | 14h43

O presidente da federação espanhola de atletismo, José María Odriozola, afirmou nesta quarta-feira que a crise econômica mundial beneficiará a candidatura de Madri aos Jogos Olímpicos de 2016, que também tem o Rio na disputa."Madri tem 75% das infra-estruturas já construídas. Diante da crise, é uma vantagem em relação aos adversários", afirmou.O dirigente, também membro do conselho da Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF, na sigla em inglês) lembrou que, na cidade norte-americana de Chicago - apontada como favorita -, já se fala sobre eventuais problemas entre sediar os Jogos e ajudar a população local."Vejam o que houve com Londres, que virtualmente tinha uma candidatura magnífica, recuperando uma área mais pobre. Agora é o Estado que terá de pagar", afirmou.Odriozola assegurou que Madri é a melhor candidatura das quatro - Tóquio também está na disputa - por ter vencido em quase todos os aspectos avaliados pelo Comitê Olímpico Internacional (COI).O dirigente concordou com o argumento apresentado pelo prefeito de Madri, Alberto Ruiz Gallardón, que aposta em deixar de lado o rodízio de continentes e apostar numa rotação mais cultural."Foram realizados Jogos Olímpicos na Ásia, com ambiente de cultura chinesa, teremos Jogos na Grã-Bretanha com ambiente cultural anglo-saxão, e poderíamos ter Madri sediando um evento com ambiente latino", explicou.

Tudo o que sabemos sobre:
COIMadri 2016Olimpíadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.