Dirigentes comemoram golfe e rúgbi nos Jogos Olímpicos

Entidades acreditam que podem aumentar o número de praticantes dos seus esportes até o Rio 2016

AE, Agencia Estado

09 de outubro de 2009 | 12h35

A confirmação de que golfe e rúgbi estarão nos Jogos Olímpicos a partir de 2016 foi comemorada pelos dirigentes dos dois esportes no Brasil. Tão logo o Comitê Olímpico Internacional (COI) anunciou a volta das duas modalidades ao programa, a Confederação Brasileira de Golfe (CBG) e a Associação Brasileira de Rúgbi (ABR) manifestaram-se positivamente.

Veja também:

linkCOI confirma golfe e rúgbi nos Jogos de 2016

linkJacques Rogge é reeleito e fica no COI até 2013

linkRio lança site para fiscalizar preparação 

especialRIO 2016 - Mais sobre preparação para os Jogos

especialESPECIAL - Tudo sobre as cidades candidatas

"Esse é um dos melhores presentes que o golfe brasileiro recebeu em mais de 100 anos de história no país", comemora Rachid Orra, presidente da CBG. Para ele, o esporte tende a crescer muito nos próximos anos. "O potencial de crescimento do golfe no Brasil é gigantesco. O fato de ter virado um esporte olímpico ajudará muito nesse processo", disse.

O presidente da ABR, Aluisio Dutra, também comemorou a inclusão Ro rúgbi nos Jogos. "Esta inclusão nos Jogos Olímpicos representa uma oportunidade sem precedentes para a sua divulgação no Brasil. O público brasileiro gosta muito de torcer por seu time e, principalmente, pelo seu país, então os jogos serão uma excelente vitrine para o rúgbi brasileiro", disse.

O golfe retornará aos Jogos depois de 112 anos de ausência - antes, esteve presente apenas em 1900 e 1904. O rúgbi fez parte de quatro edições entre 1900 e 1924. As duas modalidades estão garantidas também em 2020. O futuro de ambos os esportes para os eventos seguintes será definido em 2017.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.