Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

COI aprova testes e promete mergulho na Baía de Guanabara

Governo já admitiu que não vai cumprir meta de despoluição

RONALD LINCOLN JR., O Estado de S. Paulo

12 Agosto 2015 | 18h09

Dirigentes do Comitê Olímpico Internacional (COI) minimizaram nesta quarta-feira os problemas de poluição da Baía de Guanabara, local que vai receber as provas de vela nos Jogos Olímpicos de 2016. Em tom de brincadeira, eles afirmaram até que vão mergulhar nas águas da Baía.

As declarações foram dadas em entrevista durante o último dia de reuniões da Comissão de Coordenação do COI (Cocom), que avalia os preparativos para a Olimpíada. Desde segunda-feira os integrantes do COI estiveram reunidos na sede do Comitê Rio-2016, no Rio de Janeiro, com autoridades brasileiras para discutir a organização necessária para o evento.

Recentemente, o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, - que participou das reuniões - admitiu que não será cumprida a promessa de tratar 80% das águas da região. Questionada sobre o assunto, a presidente do Cocom, a marroquina Nawal El Moutawakel, afirmou que o COI prioriza a saúde dos atletas e confia que os brasileiros vão garantir isso.

O diretor-executivo da entidade, o francês Christophe Dubi, por sua vez, aprovou a maneira com que o governo brasileiro avalia a qualidade da água, apenas com testes bacterianos - segundo ele, estão de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). A realização de teste de vírus, porém, foi descartada.

"A meta sempre foi de que as condições da água seriam tal que as provas pudessem ocorrer. O nosso objetivo foi garantir a qualidade da água para os atletas no campo de jogo. Isso está sendo entregue", afirmou Dubi. "Graças aos Jogos o nível de prontidão para limpar a Baía foi aumentado." No próximo sábado, começa o evento-teste de vela no local.

Em maio, Dubi afirmou que mergulharia na Baía de Guanabara. Questionado se cumpriria a promessa mesmo após de Pezão reconhecer que a meta de limpeza não seria cumprida, ele foi interrompido por Nawal que garantiu, em tom de brincadeira, que os dois vão mergulhar no local.

Nawal também ironizou a suspeita de que 13 atletas dos Estados Unidos teriam sentido problemas estomacais por causa do contato com as águas da Lagoa Rodrigo de Freitas durante o evento-teste de remo realizado na semana anterior. Segundo a agência Associated Press (AP), um médico da delegação afirmou suspeitar que a razão do problema foi o contato com a água.

"O técnico dos atletas nem sequer entrou na água e ficou doente, teve atleta que nadou na água e não ficou", brincou a dirigente. Ela considerou que o evento-teste de remo e os outros três também realizados neste ano - triatlo, hipismo e vôlei - foram bem sucedidos. "Os brasileiros podem se orgulhar dos eventos-teste que fizeram. Só que muitos outros virão", alertou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.