Damien Poullenot/WSL
Damien Poullenot/WSL

Disputa do título mundial de surfe tem mais um capítulo em Portugal

Gabriel Medina, em terceiro lugar no ranking, quer diminuir a vantagem para o líder John John Florence

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

19 Outubro 2017 | 16h10

Após a vitória na França, Gabriel Medina chega embalado para a disputa da etapa de Peniche, em Portugal, a penúltima do Circuito Mundial de Surfe. A primeira chamada para o evento será nesta sexta-feira, às 5h da manhã, no horário de Brasília. A previsão é de boas ondas para os primeiros dias da janela de competição que vai até o dia 31.

+ VÍDEO - Gabriel Medina ganha etapa na França

Com os 10.000 pontos pela vitória na última etapa, Medina assumiu a terceira posição no ranking mundial e ainda tem chances de lutar pelo bicampeonato. Agora, ele precisa ir bem e torcer por tropeços do líder John John Florence e do segundo colocado Jordy Smith para chegar ao Havaí, local do último evento do ano, em boa situação.

Matematicamente, oito competidores ainda têm a possibilidade de levantar o troféu de campeão em Pipeline: John John Florence, Jordy Smith, Gabriel Medina, Owen Wright, Matt Wilkinson, Julian Wilson, Adriano de Souza e Filipe Toledo, pela ordem do ranking. Os dois mais bem colocados, Florence e Smith, têm uma vantagem considerável para o terceiro, o brasileiro Medina.

Claro que tudo pode acontecer e a disputa do Meo Rip Curl Pro Portugal a partir desta sexta deve diminuir o número de concorrentes ao título - vale lembrar que John John pode ser campeão antecipadamente em Portugal, como ocorreu em 2016, se ganhar a etapa e Jordy Smith não chegar às quartas de final.

Para Medina, ele precisa diminuir uma vantagem de 7.900 pontos para John John, já considerandos os dois descartes. Ou seja, o brasileiro precisa ir bem na etapa, se possível vencer, e torcer para John John e Jordy Smith serem eliminados até a terceira fase. Aí o garoto de Maresias chegaria para a etapa em Pipeline com boas condições de ser bicampeão mundial.

O maior problema é que nos últimos anos Medina não tem conseguido ter um bom desempenho em Peniche. "Em Portugal eu costumo surfar bem, mas lá só tive um resultado expressivo uma vez. Toda bateria de round 3 é meio estranha, então não sei se é bom ou ruim para mim", comentou.

Nas seis últimas edições da etapa portuguesa, em quatro Medina não passou da terceira fase. Em 2012, teve um segundo lugar ao perder na decisão para Julian Wilson de maneira polêmica. Em 2014, o brasileiro poderia ser campeão antecipadamente e perdeu para Brett Simpson na terceira fase. No ano seguinte, conquistou um quinto lugar. E no ano passado caiu mais uma vez cedo, ficando em 13º.

Confira as baterias da primeira fase:

1ª: Julian Wilson (AUS) x Caio Ibelli (BRA) x Leonardo Fioravanti (ITA)

2ª: Matt Wilkinson (AUS) x Bede Durbidge (AUS) x Stuart Kennedy (AUS)

3ª: Owen Wright (AUS) x Conner Coffin (EUA) x Ethan Ewing (AUS)

4ª: Gabriel Medina (BRA) x Wiggolly Dantas (BRA) x Josh Kerr (AUS)

5ª: Jordy Smith (AFS) x Italo Ferreira (BRA) x Vasco Ribeiro (POR)

6ª: John John Florence (HAV) x Kanoa Igarashi (EUA) x Mason Ho (HAV)

7ª: Adriano de Souza (BRA) x Jeremy Flores (FRA) x Jack Freestone (AUS)

8ª: Filipe Toledo (BRA) x Michel Bourez (TAH) x Jadson André (BRA)

9ª: Joel Parkinson (AUS) x Joan Duru (FRA) x Nat Young (EUA)

10ª: Kolohe Andino (EUA) x Connor O'Leary (AUS) x Miguel Pupo (BRA)

11ª: Sebastian Zietz (HAV) x Adrian Buchan (AUS) x Ezekiel Lau (HAV)

12ª: Mick Fanning (AUS) x Frederico Morais (POR) x Ian Gouveia (BRA)

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.