Disputa pela presidência da CBDA vai parar na Justiça

A disputa pela presidência da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), prevista para o dia 9 de março, foi parar na Justiça comum. A chapa de oposição a atual gestão da natação, de Coaracy Nunes, conhecida como "Muda CBDA", teve seu protocolo de registro de candidatura impugnado e acionou a Justiça para que possa participar da eleição. O responsável pela chapa, Julian Romero, entrou com mandado de segurança com pedido de liminar no Rio.

VALÉRIA ZUKERAN, Agência Estado

23 Fevereiro 2013 | 13h14

O mandado teve como base o fato de que a CBDA é mantida pelos Correios, uma empresa pública federal, de forma que a entidade não pode ser considerada pessoa jurídica privada constituída por capital público, como acontece atualmente.

Entre as justificativas feitas no documento encaminhado à Justiça está o fato de que a chapa não teve acesso ao estatuto eleitoral da CBDA apesar de ter feito pedido oficial à entidade de encaminhamento das regras. Segundo Romero, a "Muda CBDA" só conseguiu ter acesso ao material quando ele foi fornecido de forma anônima.

Outra queixa é a de que a candidatura foi impugnada porque seria necessário o apoio de cinco presidentes de federações estaduais e a própria chapa da situação, comandada por Coaracy, também não apresentou as cinco assinaturas. Ao mesmo tempo, a "Muda CBDA" também está contestando a regra que obriga tal exigência alegando que cerceiam o direito constitucional democrático de candidatura a um cargo administrativo público ou privado.

Julian Romero é ex-nadador e irmão mais novo de Rogério Romero, atleta da seleção olímpica de 1988, 1992, 1996, 2000 e 2004. Atualmente ele mora no Canadá. Segundo seu advogado, o nadador Eduardo Fischer, a ideia inicial do movimento, fundado em outubro do ano passado, era encontrar um ex-nadador ou presidente de federação estadual disposto a capitanear a candidatura de oposição, apoiada em sua maioria por atletas e ex-atletas, mas, como isso não foi possível, o nome de Romero foi mantido para que fosse possível a manutenção da chapa e sua inclusão nas eleições.

"Sabemos que uma vitória é uma coisa bem difícil, quase impossível (o presidente é eleito pelos presidentes das federações estaduais). O objetivo principal é dar o nosso recado e consolidar uma oposição", explica Fischer.

Coaracy Nunes luta por sua sétima reeleição consecutiva na CBDA. Na única vitória na qual teve adversário, quando chegou ao poder, em 1987, derrotou Ruben Dinard Filho. O dirigente também é o atual presidente da União de Natação das Américas (UANA). A CBDA foi contactada para comentar a as acusações feitas pela chapa "Muda CBDA" e promete se manifestar em breve.

Mais conteúdo sobre:
nataçãoCBDAeleiçãoJustiça

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.