Dívida com a Wada põe em risco Rio-2012

Os países em débito com a Agência Mundial Antidoping (Wada) não poderão organizar Jogos Olímpicos, mas seus atletas não sofrerão nenhum tipo de sanção. Esta foi uma das decisões tomadas hoje, em reunião do Comitê Executivo do Comitê Olímpico Internacional (COI), em Lausanne, na Suíça. A medida põe em risco a pretensão de Rio e Nova York de realizarem a Olimpíada de 2012. Os Estados Unidos encaminharam à Wada apenas US$ 800 mil do US$ 1 milhão prometido. Já o Brasil nunca pagou um tostão à entidade. O prazo-limite para quitar a dívida, que terminaria no fim do ano, foi estendido até 30 de junho de 2004. O COI, no entanto, salientou que não "seria apropriado" adotar sanções contra governos por falta de pagamento "uma vez que são nossos parceiros no código antidoping". Segundo o diretor-executivo do COI para os Jogos Olímpicos, Gilbert Felli, nenhuma atitude apressada será tomada contra os devedores. "O assunto teria de ser discutido no Comitê Executivo. Mas acredito que todos pagarão." Felli fez questão de frisar que os atletas não devem ser prejudicados. "Eles não podem sofrer por causa de um impasse entre um país e a Wada. Temos de proteger o atleta e também o orgulho da nação." Por isso, prosseguiu, proibir o hasteamento de uma bandeira ou a execução de um hino nacional na Olimpíada de Atenas está fora de questão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.