Dívida tira atletas do Vasco de prova

A Federação Paulista de Atletismo rejeitou a inscrição de 20 atletas do Vasco da Gama no torneio que será disputado sábado, em Americana, por causa de uma dívida de R$ 500,00 que o clube tem com a entidade desde o ano passado. A competição servirá como tentativa de obtenção de índice para a formação da equipe brasileira que vai participar do Campeonato Mundial Indoor (Pista Coberta) de Lisboa, no início de março. "Tenho dó dos atletas, mas não posso abrir mão do pagamento das inscrições", lembra o presidente da Federação Paulista, José Antônio Martins Fernandes. "A despesa com a competição é grande, tanto na parte administrativa, quanto de transporte e de arbitragem que contará com pelo menos 35 pessoas." A dívida do Vasco é de agosto, anterior aos problemas do clube, que não paga os salários de atletas de vários esportes olímpicos há quatro meses. Longe do problema, Maurren Maggi obteve - por duas vezes - o índice para participar do Mundial Indoor de Lisboa. Competindo pela primeira vez desde a Olimpíada de Sydney, Maurren optou neste primeiro momento por tentar o índice na prova dos 60 metros com barreiras em Viena, na Áustria. Na prova semifinal, obteve o segundo lugar de sua série, com o tempo de 8s19 (o índice exigido pela Confederação Brasileira de Atletismo é de 8s30). Na final, após uma saída ruim, conseguiu recuperar-se e terminou em quarto lugar, com 8s14, muito próximo de seu recorde sul-americano, que é de 8s12. Maurren tem confirmada participação no Meeting de Atenas, no dia 21, também nos 60 m com barreiras. No ano passado, a atleta conquistou a medalha de ouro em Atenas no salto em distância, prova que é sua especialidade. Há ainda a possibilidade de correr em Halle (Alemanha) no dia 16. Salto em distância só em Sindelfingen (Alemanha), no dia 4. Meeting - A Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) pretende anunciar na próxima semana o nome do novo patrocinador do Rio Grand Prix, marcado para o dia 5 de maio, no Rio. O torneio terá um orçamento de R$ 1 milhão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.