Djokovic acerta a tática e domina Federer

Sérvio obtem vitória incontestável sobre o número 2 do mundo e vai pela segunda vez à final do Australian Open

, O Estado de S.Paulo

28 de janeiro de 2011 | 00h00

Um dia depois de Rafael Nadal, o suíço Roger Federer sentiu na pele a decepção de ser eliminado antes do último dia do Australian Open. O suíço foi dominado pelo sérvio Novak Djokovic, que precisou de três sets e pouco menos de três horas para vencer por 7/6 (7/3), 7/5 e 6/4 e garantir vaga em sua segunda decisão do torneio - foi campeão em 2008. Também é a segunda aparição consecutiva numa final de Grand Slam (perdeu para Nadal no US Open, em setembro).

Coincidentemente, esta é a primeira final desde aquela de 2008 em que os dois líderes do ranking mundial não estão na disputa - no Australian Open daquele ano, Djokovic bateu Jo-Wilfried Tsonga. "É bom que mais jogadores sejam capazes de vencer Federer e Nadal", disse o sérvio, que vem empilhando feitos nos últimos meses: foi campeão da Copa Davis em dezembro. "Era muito duro desafiá-los, principalmente nos grandes torneios, onde jogam seu melhor tênis. As coisas estão mudando um pouco."

Djokovic seguiu à risca a estratégia criada por Nadal para derrotar com frequência o suíço: minar seu backhand (esquerda) com bolas altas e atacar seu forehand (direita). Sua vitória foi incontestável.

"Fico desapontado em perder, mas o que fazer se Djokovic jogou melhor os pontos mais importantes?", questionou Federer, que pareceu sem um plano B para virar o jogo. "Ele foi melhor. Preciso aceitar e seguir adiante."

DECADÊNCIA?

4 Grand Slams

Federer jogou sem ir à final. Parou nas quartas de Roland Garros e Wimbledon e nas semifinais de Australian e US Open

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.