Johannes Eisele/AFP
Johannes Eisele/AFP

Djokovic leva Laureus de esportista do ano e Medina fica sem prêmio

Surfista brasileiro concorria na categoria de esportes de ação

Estadão Conteúdo

15 de abril de 2015 | 12h17

O Prêmio Laureus, o Oscar do esporte mundial, teve sua mais nova edição realizada nesta quarta-feira, em Xangai, na China. Naquela que talvez seja a principal categoria em disputa, o tenista Novak Djokovic ficou com o título de esportista do ano de 2014. O Brasil também foi lembrado na cerimônia e concorreu na categoria de esportista radical, mas Gabriel Medina acabou derrotado por Alan Eustace, que quebrou o recorde de altura no salto em queda livre.

No prêmio mais esperado do dia, Djokovic foi anunciado como esportista do ano pela segunda vez, sendo que a primeira aconteceu em 2012. Ele bateu nomes como Marc Márquez, atual campeão da MotoGP, Cristiano Ronaldo, que levou o Real Madrid aos títulos da Liga dos Campeões e do Mundial de Clube em 2014, além do piloto de Fórmula 1 Lewis Hamilton, o golfista Rory McIlroy e Renaud Lavillenie, que bateu um recorde de 21 anos do ucraniano Serguei Bubka no salto com vara.

Mas a temporada de Djokovic no tênis o credenciou à conquista. Em grande forma, o sérvio conquistou sete títulos em 2014, sendo o principal deles o seu segundo troféu em Wimbledon. Ele faturou ainda quatro títulos de Masters 1000, além do ATP Finals. O ano ainda foi coroado com a volta ao posto de número 1 do mundo, em julho, ultrapassando Rafael Nadal.

Quem também teve o merecido reconhecimento foi a seleção alemã de futebol, campeã da Copa do Mundo do Brasil em 2014. O título e o futebol demonstrado por aqui deram aos comandados de Joachim Löw o prêmio de melhor equipe do ano, superando a Mercedes, que dominou a Fórmula 1, o San Antonio Spurs, que voltou a faturar a NBA, o time da Suíça que conquistou a Copa Davis, o Real Madrid e o time europeu vencedor da Ryder Cup de golfe.

Entre as mulheres, a melhor esportista do ano foi a etíope Genzebe Dibaba. Em 2014, ela bateu três recordes mundiais do atletismo em provas indoor no espaço de duas semanas, no 1.500m, no 3.000m e nas duas milhas (equivalente a 3.218 metros). Para ficar com o prêmio, ela superou as tenistas Serena Williams, dos Estados Unidos, e Na Li, da China, as esquiadoras Marit Bjoergen, da Noruega, e Tina Maze, da Eslovênia, e a lançadora de peso neozelandesa Valerie Adams.

MEDINA

O título do Circuito Mundial de Surfe em 2014 não foi o suficiente para que Gabriel Medina faturasse o prêmio de atleta radical do ano. A honraria ficou com o norte-americano Alan Eustace, que surpreendeu o mundo ao quebrar o recorde mundial de salto em queda livre, que pertencia a Felix Baumgartner, com a marca de 41,4km.

Eustace foi içado à altura desejada por um balão especial e sua queda durou cerca de 15 minutos, com a velocidade ultrapassando 1.322km/h. Os números impressionantes foram suficientes para que ele levasse a melhor sobre Medina, a surfista Stephanie Gilmore, da Austrália, o skatista Nyjah Huston, o snowboarder Sage Kotsenburg e o ciclista Danny MacAskill, os três dos Estados Unidos.

OUTROS PRÊMIOS

Em outras categorias, o australiano Daniel Ricciardo ganhou o prêmio de revelação do ano por seu desempenho com a Red Bull em 2014. Ele superou nomes de peso, como Mario Götze e James Rodríguez, nomes de destaque na Copa do Mundo por Alemanha e Colômbia, respectivamente, o tenista croata Marin Cilic, a equipe da Suíça na Copa Davis e a esquiadora norte-americana Mikaela Shiffrin.

Na categoria de maior retorno de 2014, o prêmio ficou com o jogador de rúgbi sul-africano Schalk Burger, que superou uma meningite bacteriana para voltar ao esporte. Entre os atletas paralímpícos, a norte-americana Tatiana McFadden foi a vencedora por seu desempenho no atletismo com cadeira de rodas. Troféus especiais ainda foram distribuídos para dois ex-atletas da casa, os chineses Yao Ming, do basquete, e Na Li, do tênis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.