Djokovic mostrou por que é o número um

Sérvio virou os dois sets e bateu o suíço Roger Federer no torneio que encerrou a temporada

O Estado de S.Paulo

13 de novembro de 2012 | 02h07

Roger Federer abriu mão do número 1 do ranking para tentar fechar com chave de ouro sua temporada. Não participou do Masters Series de Paris e ficou treinando, afiando os golpes para poder encarar Novak Djokovic, o novo líder do ranking, e Andy Murray, que o derrotou na final olímpica e depois confirmou seu lugar entre os grandes conquistando o Aberto dos EUA. Mas não adiantou: ontem, na decisão das ATP Finals, ele foi batido por Djokovic por 2 a 0 (7/6 e 7/5).

O começo foi animador para o suíço. Seu primeiro saque estava entrando. e com isso abriu 3 a 0. Mas "Djoko", que não se cansa de dar provas de sua força mental, devolveu uma quebra e empatou a primeira parcial - 3 a 3.

Depois, os dois craques brindaram o público londrino com um show. Federer, um virtuose, levou os torcedores ao êxtase com um voleio improvável no tie-break. Mas seu oponente foi ligeiramente mais eficiente e conseguiu fechar em 8/6.

O início do segundo set foi similar ao do primeiro. Federer abriu 2 a 0 e aparentemente manteve a partida controlada até fazer 5 a 3. Mas Djokovic desembestou a acertar todas as bolas, venceu três games consecutivos e virou para 6 a 5. Na sequência, quebrou o saque novamente, para fechar em 7 a 5, após 2h14 de puro deleite para os apreciadores da modalidade.

"É uma honra enorme estar aqui. Nós puxamos nossos limites ao máximo hoje. E, Roger, é um privilégio e um prazer jogar contra você. Parabéns pela grande semana", disse Djokovic, que acrescentou um milhão de libras à sua conta bancária - ou R$ 3,6 milhões.

Federer, em outras palavras, admitiu a superioridade do rival. "Não dá para jogar muito melhor do que isto." Foi sua oitava final no torneio que fecha o ano - ele tem seis títulos.

No próximo sábado será a vez de o público carioca apreciar a destreza de Djokovic. Ele vai enfrentar Gustavo Kuerten no Maracanãzinho. Trata-se do primeiro jogo entre o brasileiro, três vezes campeão de Roland Garros, e Djokovic, que alcançou 34 conquistas em torneios da ATP. Agora, soma duas taças das Finais da ATP. A primeira foi erguida em Xangai, em 2008.

O público paulista poderá acompanhar exibições de Federer no Ibirapuera em dezembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.