Djokovic se exibe para Maradona

Entre aplausos e vaias, argentino acompanha em Londres vitória do sérvio sobre o checo Tomas

, O Estado de S.Paulo

23 de novembro de 2010 | 00h00

LONDRES

O segundo dia do Masters de Londres foi de atrações dentro da quadra e fora dela. Na partida de abertura, o sérvio Novak Djokovic derrotou o checo Tomas Berdych com fácil duplo 6/3 e se emocionou com a presença de um fã ilustre nas arquibancadas, o astro Diego Maradona. Autor do famoso gol com "la mano de Dios" quando defendia a Argentina no jogo contra a Inglaterra nas quartas de final da Copa de 1986, o ex-jogador e hoje treinador provocou emoções conflitantes na plateia.

Djokovic, famoso pela facilidade com que tira sorrisos dos torcedores ao imitar companheiros tenistas como Roger Federer, Rafael Nadal e Maria Sharapova, não conseguiu evitar de fazer uma brincadeira sobre Maradona na entrevista em quadra, logo após o jogo. "Quando ele chegou, no meio do primeiro set, não sabia se jogava com as mãos ou com os pés."

O tenista conta que a amizade com o ex-jogador começou de forma inusitada. "Um jornalista argentino me entrevistou e disse que ele (Maradona) gostava de me ver jogar. Então, enviei-lhe uma camiseta e uma raquete. Em agradecimento, ele mandou uma camisa autografada", conta. O sérvio disse que começou aí uma conexão entre ambos que já dura alguns anos. "Mas foi a primeira vez que nos encontramos pessoalmente."

Emocionado com o contato direto com um de seus ídolos futebolísticos, Djokovic aplaudiu Maradona ao final da partida. Mas o argentino não foi unanimidade entre os ingleses, que não esqueceram 1986. O ex-jogador foi alvo de muitas vaias do público, embora também tenha recebido alguns aplausos.

Nadal. No outro jogo do grupo, o espanhol Rafael Nadal tomou um susto em sua estreia no Masters. Perdeu o primeiro set e precisou de tie-break para evitar uma derrota rápida para o norte-americano Andy Roddick no segundo set. Mas no final, o tenista se recuperou e ganhou por por 6/3, 7/6 (7/5) e 6/4.

Hoje, o outro grupo do Masters volta à quadra. O suíço Roger Federer enfrenta o britânico Andy Murray no jogo de abertura e o sueco Robin Soderling terá como adversário o espanhol David Ferrer.

Raquete pendurada. O eslovaco Dominik Hrbaty, de 32 anos, fez ontem sua despedida em uma partida de exibição na sua cidade natal, Bratislava.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.