Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Domínio chinês nos saltos ornamentais

Cassius Duran e César Castro colocaram o Brasil, pela segunda vez na história, numa final mundial de saltos ornamentais, na prova de trampolim de 3 metros sincronizado, neste domingo, em Montreal. Antes, apenas Juliana Veloso já havia terminado entre os 12 melhores do mundo, em Fukuoka, há quatro anos. Cassius e César terminaram em oitavo lugar, com 324,57 pontos. Voltam a competir nesta terça-feira, na prova individual do trampolim de 3 m, no Mundial de Desportos Aquáticos de Montreal ? a prova é a especialidade de César, que este ano já ganhou duas medalhas de prata e uma de bronze em etapas do Grand Prix da Federação Internacional de Natação (Fina). Neste domingo, os chineses provaram que são bons nos saltos ornamentais. A dupla Chong He e Feng Wang levou a medalha de ouro no trampolim de 3 m sincronizado (384,42 pontos). Na plataforma de 10 m, feminino, ouro de novo para a China, com Jia Tong e Yuan Pei Lin (351,60). Na Olimpíada de Atenas, os chineses ganharam seis dos oito ouros em disputa, batendo os Estados Unidos pela primeira vez. Além dos chineses, Montreal também terá uma estrela da casa, o canadense Alexandre Despatie, de 19 anos, amanhã no trampolim. Ganhou a prova de plataforma nos Jogos da Comunidade Britânica (Commonwealth Games), quando tinha 13 anos, e no Mundial de Barcelona, aos 17. Do Pan-Americano de São Domingos, levou três medalhas de ouro. Da Olimpíada de Atenas, no ano passado, uma de prata. Nesta terça-feira, a brasileira Nayara Figueira será a 30ª entre 31 solistas a se apresentar no nado sincronizado. O pólo feminino terá o seu jogo mais difícil da chave, contra a Austrália, seleção campeã olímpica em Sydney (2000). Ontem, as meninas do Brasil estrearam com derrota para a Holanda por 7 a 6, pelo Grupo D, em que a Austrália venceu a Alemanha por 15 a 2. Neste domingo, nos 5 km maratona aquática, o Brasil ficou em 21º com Pâmela Engel (1h00min21) e em 25º com Bruna Cavalcante (1h02min22). A medalha de ouro foi ganha pela russa Larissa Ilchenko (55min40s1). Entre os homens, o vencedor da distância foi o alemão Thomas Lurz (51min17s2). Do Brasil, Guilherme Bier terminou em 13º (52min02s8) e Carlos Pavão em 15º (52min03s9). A disputa das provas de natação, que tem como destaque Joanna Maranhão, de 18 anos, especialista no estilo medley, começa na segunda semana de competições do Mundial, dia 24.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.