Dono da noite diz ter acordado após a agressão

Autor dos dois gols corintianos, Liedson recebeu um soco do flamenguista Gustavo e ganhou motivação

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

09 de setembro de 2011 | 00h00

A virada empolgante, com dois gols de Liedson no segundo tempo, incendiou as arquibancadas do Pacaembu e os jogadores corintianos na saída do gramado. O atacante Liedson, que chegou a 8 gols e é o artilheiro do time no campeonato, era o mais empolgado. Lembrou que a agressão do zagueiro Gustavo acabou o motivando. "Tomei um soco sem saber por que, mas aquilo me acordou. Dei a resposta jogando futebol."

O artilheiro também ressaltou a força da equipe para se recuperar na partida. "O importante foi que tivemos tranquilidade quando sofremos o gol. Nosso time lutou o tempo todo e conseguiu uma vitória muito importante, que nos mantém na liderança. Quando o time leva um gol, é preciso ter maturidade para reagir, e mostramos isso."

O meia Alex preferiu ressaltar o fato de o time ter merecido a vitória. "Ganhar em casa dessa forma é muito importante. Nem sempre acontece, mas, às vezes, o futebol também faz justiça."

Sobre o futuro, Alex seguiu falando em merecimento. "Temos uma sequência difícil, mas vamos pensar jogo a jogo. O Fluminense (próximo adversário) vem de três vitórias, mas vamos sofrer o que for preciso para chegar lá na frente com o título. Se formos campeões, é porque fomos merecedores disso."

Entre os flamenguistas, a decepção era evidente. "Sete jogos sem vencer é complicado, você acaba se distanciando dos concorrentes, mas nada que a gente não possa reagir", disse o goleiro Felipe.

Homenagem. Os jogadores do Corinthians entraram trazendo na camisa a inscrição "Dr. Sócrates", homenageando o ex-jogador que está internado no Hospital Albert Einstein se recuperando de hemorragia estomacal. O placar eletrônico do Pacaembu também colocou a inscrição "Força Sócrates". Outros gestos foram vistos: "Sócrates, não para, não para, não para de lutar", numa alusão a uma das músicas mais cantadas pela Fiel. A torcida também levou 101 bandeiras com a imagem de ídolos do clube como Idário, Neco, Tevez, Basílio, Marcelinho Carioca, Ronaldo Fenômeno e o próprio Sócrates. O clube comemorou 101 anos no dia 1.º.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.