Doping: aprovada nova lista de substâncias proibidas

A Convenção Internacional contra o doping aprovou nesta terça-feira a nova lista de substâncias proibidas para esportistas, que inclui um número maior de anabolizantes de consumo exógeno. O tibolone (serve para melhora o humor e o libido) foi acrescentado à lista de anabolizantes, enquanto a adrenalina externa foi identificada como um estimulante e, portanto, proibida. A nova lista, uma revisão da listagem anterior da Agência Mundial Antidoping (AMA), entrará em vigor dentro de alguns dias. A Convenção iniciou na segunda uma reunião na sede da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) em Paris, da qual participam delegados de aproximadamente 90 países. O diretor-geral da AMA, David Howman, destacou a importância de contar com a colaboração dos Governos contra o doping e deu como exemplo o caso Festina, na França, e a recente Operação Puerto, na Espanha. Entre os problemas na luta contra o doping, a delegação boliviana destacou as dificuldades financeiras vividas pelos países com menos condições, obrigados a submeter seu exame antidoping aos laboratórios homologados pela AMA, cujos preços aumentaram muito nos últimos anos. Howman mostrou sua confiança de que, nos próximos meses, seja possível equipar os laboratórios homologados com os sistemas de detecção do hormônio do crescimento. A Convenção, que ontem elegeu ao ministro russo de esportes, Vyacheslav Fetisov, como presidente, finalizará nesta quarta seus trabalhos. Aprovada por unanimidade na Assembléia Geral da Organização da Unesco em outubro, a Convenção entrou em vigor em fevereiro, depois de ser ratificada por 30 países. Atualmente, 47 países já deram seu sinal verde ao texto da Unesco, o primeiro de caráter jurídico relacionado ao doping que há no mundo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.