Doping de Floyd Landis é confirmado em contraprova

O exame de contraprova confirmou o doping do ciclista norte-americano Floyd Landis, vencedor da Volta da França, por níveis excessivos de testosterona, e um dirigente francês informou à agência Associated Press que o hormônio encontrado na urina do atleta é sintético, e não produzido pelo próprio corpo do atleta.A testosterona é o hormônio sexual masculino, e em altos níveis ajuda os atletas na resistência e na recuperação muscular, após exercícios de forte impacto - como são várias etapas da principal competição de ciclismo, disputadas em meio às montanhas dos Pirineus e dos Alpes."Recebi uma mensagem de texto do laboratório que diz que a testosterona na amostra examinada tem origem externa", afirmou Pierre Bordry, chefe da agência antidoping francesa. A defesa de Landis sempre alegou que o hormônio era natural do próprio ciclista. "É mentira. A análise mostra a diferença entre os hormônios, sem erro", garantiu Jacques De Ceaurriz, chefe do laboratório Chatenay-Malabry, responsável pela análise.A organização da Volta da França ainda não confirmou a decisão, mas provavelmente vai cassar o título de Landis, o primeiro da carreira do norte-americano, que já havia sido escudeiro em vitórias do astro Lance Armstrong, heptacampeão da prova entre 1999 e 2005. "Ele não pode ser mais o vencedor da Volta da França. Ainda não pordeu oficialmente o título, mas já manchou a camisa amarela", disparou o diretor da prova, Christian Prudhomme.Além disso, o norte-americano, que vai passar por uma cirurgia nos quadris e pode até encerrar a carreira, perderá também o emprego na equipe Phonak. "Ele será demitido sem aviso prévio, por violar o código de ética da equipe", afirmou a equipe em comunicado oficial. "É uma catástrofe para nós", disse o colega de time Bert Grabsch.CaladoLandis não deu entrevistas desde a descoberta do doping. Falou apenas por meio de seu site oficial. "Não ingeri nenhuma substância proibida, e vou lutar contra essas acusações da mesma forma como fiz nos treinos e nas corridas", afirmou o ciclista de 30 anos. "Meu objetivo a partir de agora é limpar meu nome." Seu advogado, Howard Jacobs, disse que vai esperar o recebimento do resultado definitivo do teste para preparar a defesa.O segundo colocado, o espanhol Oscar Pereiro, ainda não quis comemorar o título. "É preciso esperar a confirmação das autoridades. Só posso lamentar o que houve, porque é prejudicial para todo o ciclismo", afirmou. Pereiro ficou a apenas 57 segundos de Landis na classificação geral. Se confirmada sua vitória, será o primeiro espanhol a ganhar a Volta da França desde Miguel Induráin, pentacampeão entre 1991 e 1995.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.