Dorival vence a 1ª. Neymar é afastado

Técnico segue no Santos e atleta fica fora do jogo de hoje contra o Guarani. Sua situação será reavaliada amanhã.

Sanches Filho, O Estado de S.Paulo

19 de setembro de 2010 | 00h00

Neymar não joga contra o Guarani, hoje às 16 horas, no Estádio Brinco de Ouro, em Campinas, e pode ficar fora até do clássico contra o Corinthians, quarta-feira, na Vila Belmiro. A crise santista não foi superada, apenas contornada. No momento, Dorival Júnior está em vantagem no braço de ferro com os dirigentes, após fazer prevalecer a sua vontade, com o afastamento por tempo indeterminado do atacante.

O treinador, xingado publicamente por Neymar no segundo tempo do jogo contra o Atlético-GO (vitória de 4 a 2), exigiu que a punição não se limitasse a uma simples multa. Tudo começou no campo na noite de quarta-feira e só teve uma trégua no começo da tarde de ontem, quando o presidente Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro anunciou a punição.

"Neymar, por decisão unânime da diretoria e da comissão técnica, está afastado num primeiro momento do jogo de amanhã (hoje) e ficará treinando de acordo com a programação do clube. A situação será reavaliada após a reapresentação do elenco na segunda-feira (amanhã)", afirmou o dirigente, que garantiu a permanência de Dorival Júnior até o fim de seu mandato, em dezembro de 2011. "Reiteramos aos atletas a confiança no trabalho e na liderança do técnico Dorival Júnior, enfatizando ainda que atos de indisciplina não serão tolerados pela diretoria."

As figuras centrais da crise, Neymar e Dorival Júnior, não se pronunciaram. E o assunto continua mal resolvido. Pelo terceiro dia seguido, o técnico não orientou os jogadores no treino. A sua exigência era para que Neymar fosse castigado com afastamento por tempo indeterminado do grupo. Hoje, após o jogo, é possível que Dorival Júnior anuncie sua saída do clube porque a diretoria não admite que o Santos fique sem Neymar no clássico.

Após a nova punição, o pai de Neymar falou pelo filho, demonstrando indignação. "Pintaram Neymar como um monstro. Estou chateado com essa hipocrisia e não quero mais falar porque não estão divulgando corretamente o que eu falo", desabafou. "O Neymar tem contrato e tem de cumprir o que mandaram fazer. Ele desacatou (o técnico Dorival). Não temos nada o que falar, só queremos ficar em paz." Sem Keirrison, o ataque santista será formado por Marcel e Madson. Pará também não joga: bateu o carro e machucou o joelho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.