Douglas se despede com vitória

Meia da passe para um dos gols nos 2 a 1 sobre o Vitória. No fim, diz que definirá saída para o Al-Wadha até amanhã

Fábio Hecico, O Estadao de S.Paulo

24 de julho de 2009 | 00h00

O corintiano voltou a fazer festa ontem no Pacaembu. Pela sexta vez seguida, a equipe ganhou dentro de casa: 2 a 1 no Vitória e duas posições conquistadas. Agora, o time é o quarto colocado do Campeonato Brasileiro. Mas a alegria do resultado contrastou com a confirmação de que o meia Douglas está mesmo indo para o Al-Wadha, dos Emirados Árabes. Não deve nem encarar o Palmeiras, domingo, em Presidente Prudente."Está bem perto (o acerto). Entre amanhã (hoje) e depois tudo será definido. Não posso falar que sou ex-jogador do Corinthians, porque ainda não assinei, falta chegar os papéis", afirmou o meia. Sua própria mulher, Julia, já havia dado a dica, no estádio, de que o marido estava se despedindo, na hora em que foi substituído. "Estou de coração partido. Vou sentir muita falta da torcida do Timão", disse, ao ver Douglas sair de campo aplaudido.O meia confirmou a negociação e, ao invés de juras de amor, como André Santos e Cristian, assumiu o motivo da saída. "Não posso perder essa oportunidade, vai ser muito bom (financeiramente) para mim."O Corinthians entrou em campo sem cinco antes titulares: André Santos e Cristian, negociados com o Fenerbahçe, William e Alessandro, machucados, e com Jorge Henrique, gripado, no banco de reservas. Apesar da desconfiança da torcida com o desmanche no elenco, o time parecia completo, com uma boa apresentação, principalmente nos primeiros 45 minutos. Foi um belo espetáculo, com dois times que certamente estarão até o fim brigando pela taça.Com toques rápidos, precisos, o Corinthians dominou a primeira fase. E abriu vantagem com gols de Dentinho, de voleio, após receber passe de Ronaldo e com o zagueiro Jean, em belo passe de Douglas."100% Lulinha", dizia a camisa de Dentinho. "Uma homenagem para ele (Lulinha). Espero que seja muito feliz em sua ida para Portugal (foi emprestado ao Estoril)", disse. "Mas tenho de falar do gol. Foi um belo domínio e um chute certinho."Só que o Vitória não está entre os melhores por acaso. E diminuiu ainda na primeira etapa. O gol veio em sua principal jogada: os avanços em velocidade de Apodi. O lateral recebeu de Leandro e, na cara de Felipe, fez, aos 42.A fase final foi um bombardeio dos baianos. Foram chutes de todos os lados e defesas milagrosas de Felipe, outro com possibilidade de sair do clube. O goleiro parou o goleador Roger e companhia. O sufoco foi até o fim, também pela falta de pontaria dos corintianos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.