Duelo jamaicano segue eletrizante

Ontem, em Estocolmo, foi a vez de Asafa Powell dar o troco em Usain Bolt, que havia batido seu recorde mundial

Estocolmo, O Estadao de S.Paulo

23 de julho de 2008 | 00h00

Asafa Powell deixou para trás o recordista mundial dos 100 metros rasos, Usain Bolt, ontem, no GP de Estocolmo de Atletismo. No duelo particular dos velocistas jamaicanos, Powell largou melhor e venceu a prova com 9s88. Bolt chegou um centésimo depois.Há dois meses, Bolt tomou de Powell o recorde mundial na distância, ao cravar 9s72, contra 9s74 do compatriota. Ontem, levou o troco. "Até algumas semanas atrás, só se falava de Usain. Eu estava me divertindo", disse ontem um sorridente Powell após a prova. "Eu não queria chamar muita atenção, mas eu mostrei ao mundo que Asafa Powell continua aqui", emendou, falando de si próprio na terceira pessoa. "Foi muito importante derrotá-lo hoje para aumentar minha confiança. Ele é o recordista, mas eu já fiz 9s74, então é melhor tomar cuidado comigo."Em terceiro lugar chegaram empatados Jaysuma Ndure, da Noruega, e Richard Thompson, de Trinidad e Tobago, com 10s06. Nesta sexta-feira, Usain Bolt vai correr no GP de Londres, onde não terá Asafa Powell como rival, mas sim o americano Tyson Gay.PERTO DO RECORDEO cubano Dayron Robles, recordista mundial dos 110 metros com barreiras, venceu a prova ontem em Estocolmo e chegou a ofuscar o brilho do duelo entre Bolt e Powell.Tudo porque Robles quase bateu mais uma vez o recorde mundial. O cubano venceu a prova com 12s91, a quatro centésimos de sua melhor marca. Os americanos David Oliver e Aries Merritt completaram o pódio, em segundo e terceiro.Robles, de 21 anos, deixou claro que a vida do ídolo chinês Liu Xiang não vai ser fácil na Olimpíada. Xiang era o antigo recordista da prova, com 12s88.A etíope Mereset Defar, campeã olímpica e mundial nos 5.000 metros, ficou a um segundo do recorde mundial (que pertence à sua compatriota Tirunesh Dibaba), ao completar a distância em 14m12s32.No salto em distância, a portuguesa Naide Gomes igualou a melhor marca do ano, da russa Lyudmila Kolchanova: 7,04 metros. E se une ao grupo de favoritas na prova em Pequim.Os demais favoritos à medalha de ouro na Olimpíada não forçaram. Yelena Isinbayeva, por exemplo, conquistou o primeiro lugar em Estocolmo com 4,85m no salto com vara, muito distante de sua melhor marca, 5,03m, cravada na semana passada.A brasileira Fabiana Murer não teve um bom dia: saltou apenas 4m40, longe de Isinbayeva e 40 centímetros abaixo de sua melhor marca, que lhe rendeu o título do Troféu Brasil e o recorde sul-americano. Fabiana terminou ontem em 5º lugar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.