Duelo também fora de campo

São Paulo e Palmeiras brigam nos bastidores para receber jogos da Copa do Mundo de 2014

Amanda Romanelli e Daniel Akstein Batista, O Estadao de S.Paulo

13 de julho de 2008 | 00h00

São Paulo e Palmeiras vão travar nos próximos meses uma batalha fora de campo com o objetivo de ser sede da Copa do Mundo de 2014. A briga entre os dois promete ser acirrada. O Palmeiras só precisa da aprovação de seus associados para dar início às obras da moderna Arena multiuso. Já o time do Morumbi ainda faz os detalhamentos do projeto coordenado pelo arquiteto são-paulino Ruy Ohtake. De acordo com o diretor de futebol do São Paulo, João Paulo de Jesus Lopes, uma comissão tem estudado a viabilização econômica e financeira das obras. A principal delas é a construção de um estacionamento na praça em frente ao estádio, uma parceria público-privada que poderá envolver também a Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô). "O presidente Juvenal Juvêncio tem procurado investidores privados. Essa não é uma obra do clube, mas na qual o clube tem total interesse em colaborar", diz. "Buscamos parcerias", admite. "O objetivo é deixar o Morumbi mais confortável. Estamos fazendo modernizações, mas ainda são coisas que não aparecem. Algumas vão começar a aparecer a partir de agosto." Lopes citou, por exemplo, a troca de placares eletrônicos como uma dessas intervenções.Ao contrário do rival, o Palmeiras não tem pretensões de ser o palco do jogo inaugural do Mundial. O sonho é recepcionar a Itália. Na semana passada, o clube assinou acordo com a WTorre Empreendimentos. Falta, entretanto, que os associados dêem aval para as obras começarem. No dia 30 de agosto será realizada a assembléia.A WTorre deve gastar quase R$ 300 milhões com a reforma do Palestra. Além do estádio com capacidade para 45 mil torcedores, vão ser construídos um prédio administrativo, um esportivo e anfiteatro. A empresa será parceira do Palmeiras nos próximos 30 anos, e a previsão é de que em dezembro de 2010 a Arena esteja pronta.Na apresentação do projeto, o diretor administrativo do clube, José Cyrillo Jr., afirmou que o Palmeiras "está saindo na frente do São Paulo". Ainda que o Palmeiras sonhe em ter o Palestra escolhido para 2014, o São Paulo diz que o projeto de readequação de seu estádio foi muito elogiado pela Comissão da Fifa que visitou o Brasil em 2007. Os valores do sonho do Morumbi, que gostaria de receber a partida inaugural do torneio, não foram divulgados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.