Dunga abre treino para jovens pobres de Durban

ENVIADO ESPECIAL

Marcius Azevedo, O Estado de S.Paulo

25 de junho de 2010 | 00h00

DURBAN

O dia foi de alegria e muita sorte para 38 garotos do KwaMashu, bairro da periferia de Durban. Quando o ônibus da seleção brasileira passava para chegar ao estádio Princess Magogo, local do último treino antes do jogo contra Portugal, o grupo perseguiu e acenou para o veículo.

Eles foram barrados no portão, mas a demonstração de carinho comoveu Dunga, que autorizou a entrada do grupo. Os garotos ficaram sentados na arquibancada atrás de um dos gols até que Kaká decidiu se aproximar.

Um dos meninos levava um cartaz improvisado em inglês escrito "Eu te amo, Kaká". Eles só se aproximaram do alambrado após sinal de Kaká.

O meia, então, deu uma bola ao menino. Os outros jogadores acompanharam Kaká e ficaram com os garotos por quase dois minutos. Deram autógrafos e Gilberto Silva entregou o seu blusão da seleção para um deles.

Quando o treino estava próximo do fim, ainda puderam entrar no gramado. Eles ficaram próximos a um dos bancos de reservas e quase todos os jogadores foram lá cumprimentar um por um. Lúcio deu ainda sua camisa para um deles, que estava em uma cadeira de rodas, e Gomes suas luvas para outro. Dunga também retribuiu o carinho que recebeu dos garotos.

O treinador ganhou uma câmera fotográfica digital do ex-jogador Takashi Fukunishi, que atuou com ele no Jubilo Iwata, do Japão, nos anos 90. Os dois conversaram pelo alambrado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.