Dunga ainda espera Kaká, apesar da nova contusão

Lesão não é tão grave como o Milan temia, e meia confia em defender o Brasil no fim do mês

Luís Augusto Monaco, O Estadao de S.Paulo

17 de março de 2009 | 00h00

Alívio para o Milan e para a seleção. A contusão no pé esquerdo sofrida por Kaká durante o jogo de domingo contra o Siena parece não ser tão grave como se suspeitava, e ele não deverá ficar muito tempo parado.Ontem ele passou o dia em casa fazendo fisioterapia. O pé estava inchado, mas à noite a dor já era bem menor do que no domingo. Hoje, dependendo de como estiver se sentindo, vai para o campo correr e tentar chutar.Ele será avaliado dia a dia pelos médicos do Milan, que manterão a CBF informada sobre o andamento de sua recuperação. Até o fim da semana será decidido se ele se apresentará dia 24 à seleção ou será cortado. O chefe do departamento médico do Milan, Jean-Pierre Meerserman, acredita que o problema não passa da dor provocada por um pisão no mesmo local da lesão anterior (o dorso do pé, como explicado no quadro ao lado), que o deixou mais de um mês sem jogar. O fato de Kaká ter passado o dia em casa foi visto como um sinal positivo por Meerserman. "Quando um jogador se machuca numa partida e sente que a contusão não é simples, tem de se apresentar no CT às 10 horas do dia seguinte para fazer tratamento. Como Kaká ficou em casa, suponho que ele esteja otimista quanto à recuperação."A CBF também está confiante. De acordo com o assessor de imprensa Rodrigo Paiva, se a contusão pusesse em risco a presença de Kaká nos jogos em Quito e Porto Alegre, contra Equador e Peru, ele já teria ligado para alguém da comissão técnica. "O Dunga fez uma reunião com os jogadores antes do jogo contra a Itália e pediu a todos que sempre entrassem em contato com ele, o Jorginho (auxiliar) ou o Runco (médico) quando tivessem algum problema que pudesse tirá-los da seleção. E, como o Kaká ainda não fez contato com a gente, acredito que vá se apresentar."A comissão técnica do Milan não descarta nem o aproveitamento de Kaká no jogo de domingo contra o Napoli fora de casa, o que ratifica o otimismo geral quanto à recuperação do craque. Mas, se ele tiver um resquício de dor, por menor que seja, ficará fora da partida.A cautela se justifica. Quando Kaká se machucou no jogo do dia 7 de fevereiro contra a Reggina, a previsão era de que estaria bom em 15 ou 20 dias. Mas a recuperação não correu como o esperado, e o craque ficou 36 dias sem jogar.Ele voltou a campo domingo, entrando após o intervalo no lugar de Ambrosini. E aos 26 minutos teve de ser substituído por Ronaldinho Gaúcho. Por causa dos compromissos da Itália nas Eliminatórias, o Campeonato Italiano ficará parado por duas semanas. Por isso, se não jogar contra o Napoli, Kaká voltará dia 5, contra o Lecce. MAUS FLUIDOS4/2/2008 - Kaká é substituído no jogo contra o Palermo, com fortes dores no joelho esquerdo.23/5/2008 - Kaká é submetido, no Rio, a uma artroscopia no joelho e fica fora dos jogos contra Paraguai e Argentina, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo, e também da Olimpíada de Pequim.25/9/2008 - Kaká volta a ser chamado por Dunga, enfrenta Venezuela e Colômbia, pelas Eliminatórias, e também participa do amistoso com Portugal.7/2/2009 - O meia sofre lesão no pé esquerdo na partida em que defendeu o Milan contra a Reggina. Ele acaba fora do aguardado amistoso com a Itália, em Londres.15/3/2009 - Após 36 dias de tratamento, Kaká volta a jogar no Campeonato. Entra no início do segundo tempo, mas sente mais uma vez dores no pé esquerdo. Pode desfalcar aseleção brasileira de novo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.