Dunga, ainda na berlinda, desabafa

Dunga sabe que está por um fio. A derrota para a Argentina e a conseqüente perda da chance de brigar pelo ouro olímpico trouxe de volta a pressão para que o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, "conserte o erro cometido" de tê-lo "criado". O técnico vive uma fase onde só tem a perder. Se a seleção ganhar o bronze hoje, contra a Bélgica, isso pouco significará; se perder, os gritos pela saída de Dunga ganharão alguns decibéis. Tropeço contra o Chile com a seleção principal, daqui a duas semanas, será fatal. Dunga parece condenado.Ele tem consciência disso. E, apesar de repetir que não está preocupado, fez ontem um longo desabafo depois do treino da seleção em Xangai. Defendeu-se atacando, com algum rancor. "Cada um fala o que quer. Perdeu, tem de ficar quieto"'', respondeu, sobre a opinião do presidente Lula, que se disse "com raiva" da derrota. Visivelmente chateado, Dunga disse que as pessoas podem achar que ele não entende nada como técnico, mas seu filho vai sempre se orgulhar do pai, como seu caráter e transparência. "Meu pai me ensinou uma coisa: quando você tem muito tempo livre, fala bobagem." Antes, dissera que o fato de o presidente falar sobre um jogo "mostra a importância do futebol". E agora: "Todo mundo deixa o seu trabalho para falar do futebol." O que se discute no momento é a opção de Dunga por um jogo pragmático, defensivo, em que o talento individual é engessado. O técnico diz que age segundo suas convicções e não demonstra intenção de mudá-las. "Futebol tem alegrias e tristezas e é preciso equilíbrio para conviver com os dois." Mesmo assim, admitiu que, se tivesse outra chance de enfrentar a Argentina, montaria uma equipe diferente. "Depois de perder é fácil mudar. Se alguém vier e disser: ?perdi, mas não vou mudar?, aí pode mandar degolar o pescoço do cara".ELIMINATÓRIASDepois do jogo contra a Bélgica, Dunga convoca os 22 jogadores para enfrentar Chile e Bolívia em setembro, pelas Eliminatórias da Copa de 2010. Ele deve montar o grupo mais forte que puder. Ronaldinho Gaúcho está certo. Kaká, longe da melhor forma após cirurgia no joelho, e Robinho também estão na lista. Mas Adriano pode não atender por conta de uma contusão, segundo o Estado apurou. O Brasil enfrenta o Chile no dia 7 de setembro, em Santiago. A Bolívia é o adversário do dia 10, no Engenhão, no Rio.Sob pressão comparável à de 1990, quando foi tido como símbolo da seleção que fracassou na Copa da Itália, Dunga diz: "Não se pode esperar nada de ninguém. Tem de trabalhar."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.