Dunga chama Amauri. Juve veta

Técnico convoca atacante para substituir Luís Fabiano contra a Itália, mas clube italiano avisa que não vai liberar

, O Estadao de S.Paulo

31 de janeiro de 2009 | 00h00

Depois de ver a Juventus perder do Cagliari, por 3 a 2, ontem à noite, o presidente do clube, Giovanni Cobolli Gigli, afirmou que não vai liberar o atacante Amauri para o amistoso da seleção brasileira contra a Itália, no dia 10, em Londres. O técnico Dunga havia convocado o jogador na manhã de ontem.Gigli justificou o veto dizendo que o prazo legal estabelecido pela Fifa para a convocação de atletas que atuam no exterior já estava encerrado. "O clube decidiu não aceitar a convocação", disse. "Precisamos nos manter concentrados no campeonato, agora mais do que nunca." Segundo Gigli, a opinião do atacante não foi levada em conta na decisão.A convocação de Amauri, de 28 anos, foi divulgada ontem durante a inspeção da Fifa em Porto Alegre. Na noite de sexta-feira, a CBF havia informado que Luís Fabiano, do Sevilla, com lesão no joelho esquerdo, não poderia participar do primeiro jogo da seleção no ano. Agora, a CBF terá de chamar outro jogador ou brigar para ter Amauri.A imprensa italiana reagiu rapidamente à convocação do atacante da Juventus, atual vice-artilheiro do Campeonato Italiano, com 11 gols. "Dunga chama Amauri. Acabou o sonho da Azzurra", era a manchete no site do diário Gazzetta dello Sport.Isso porque o brasileiro está prestes a receber a cidadania italiana. Seu nome é pedido frequente da torcida local e até o técnico da Itália, Marcello Lippi, já disse várias vezes que esperava contar com o jogador. Em recente entrevista ao Estado, publicada no fim de 2008, Amauri disse que confiava na convocação para defender seu país natal. "Sou brasileiro e a única seleção pela qual posso jogar, no momento, é a do Brasil." Afirmou, ainda, que o ano passado foi quase perfeito. Afinal, depois de percorrer a Europa jogando em times pequenos, acabou contratado pela Juventus. "Foi um 2008 completo de realizações. Só faltou a convocação para seleção, mas a gente chega lá."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.