Dunga reduzirá a intensidade dos treinamentos

Dois dias depois da vitória sobre Costa do Marfim por 3 a 1, resultado que classificou o Brasil para as oitavas de final do Mundial, o técnico Dunga preferiu não levar a campo os titulares, que foram poupados no treino realizado à tarde no Sthithians College, em Johannesburgo.

, O Estado de S.Paulo

23 de junho de 2010 | 00h00

Num espaço reduzido, os reservas fizeram exercícios com bola, enquanto Kaká e os demais titulares apenas correram em volta do gramado.

Pelo planejamento da comissão técnica, a partir de agora, treinos táticos e coletivos serão reduzidos para evitar um desgaste maior com os jogos e viagens.

Na avaliação de Dunga e seus auxiliares, os jogadores têm de passar por períodos de readaptação, nos intervalos dos jogos, e vão necessitar bem mais de trabalhos específicos com fisioterapeutas do que dos treinos com bola.

Dunga e o assistente Jorginho observavam a movimentação à distância. Pouco antes, improvisaram uma rodinha com o ex-goleiro Taffarel e ficaram trocando passes.

Curioso é que Taffarel se juntou à seleção para servir como espião da equipe e com a função de assistir a vários jogos do Mundial e preparar relatórios.

Enquanto Taffarel estava em campo descontraído com Dunga e Jorginho, a África do Sul enfrentava a França e o Uruguai jogava com o México.

Talvez por causa dos problemas com a imprensa nos últimos dias, o técnico Dunga permitiu que os atletas corressem ao lado da área reservada aos jornalistas.

Foi a primeira vez que houve esse contato mais próximo em quase um mês de permanência da seleção brasileira na África do Sul. / S. B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.