Durval comemora presente: 'O gol veio na hora certa'

Sorte de campeão. É dessa maneira que jogadores e membros da comissão técnica explicam o gol de cabeça de Severino dos Ramos Durval da Silva, ou simplesmente Durval, que levou o Santos a derrotar o São Paulo, após tomar um susto, no clássico do Morumbi. Para o sempre calado pernambucano de Cruz do Espírito, 30 anos completados justamente no domingo, o gol foi um presente inesperado.

, O Estado de S.Paulo

13 de abril de 2010 | 00h00

"O gol veio na hora certa. Tanto para mim como para o Santos. Sinceramente, não esperava por isso, mas fui abençoado"", disse o zagueiro, que surpreendeu duas vezes com o gol que o tornou o herói da vitória. A primeira foi a sua jogada de atacante, pela direita, driblando Miranda, craque de seleção e que apelou para a falta, e principalmente, ao subir mais alto que a zaga são-paulina e concluir para o gol, aproveitando a cobrança de Madson.

O gol de Durval não apenas foi um alívio para o time que vencia por 2 a 0 e havia permitido o empate do adversário como também fez a alegria do time inteiro. É que Dorival Júnior, que havia perdido um churrasco para o grupo com o gol de cabeça de Neymar diante do São Caetano, vai ter que pagar outro em razão de o gol ter sido marcado por um zagueiro. "É uma alegria grande fazer o gol da vitória no time que tem dos dois dos melhores atacantes do mundo"", disse Durval.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.