E Gerve virou Gervinho por causa de um técnico brasileiro

O atacante Gervinho promete brilhar na Copa do Mundo. Mas não se trata de mais um astro brasileiro. Gervinho é um dos jogadores da seleção da Costa do Marfim. Não fala português e nunca foi ao Brasil.

SAANEN, SUÍÇA, O Estado de S.Paulo

27 de maio de 2010 | 00h00

"Meu nome é Gerve, mas ganhei o apelido de Gervinho quando ainda jogava pelo infantil. Um técnico brasileiro que havia passado pela Costa do Marfim disse que eu jogava como um brasileiro e me deu o nome de Gervinho", explicou. O jogador diz não se lembrar do nome completo do técnico que mudou seu nome. "Sei que se chamava Carlos. Mas não sei onde foi parar."

A escolinha em que atuava o atacante acabou se transformando no principal centro de referência do futebol da Costa do Marfim, formando jogadores como os irmãos Touré e outros membros da atual seleção.

Desde que ganhou o apelido, o africano optou por nunca abandoná-lo, honrado por ter sido comparado a um jogador brasileiro. Quando foi convocado para a seleção, quis manter o diminutivo brasileiro.

Agora, atuando pelo time francês de Lille, o atacante já pensa alto. "Entre Gervinho e Robinho, acho que Gervinho vai levar a melhor desta vez." Com 23 anos, o atacante foi transferido do Le Mans para o Lille por 8 milhões (R$ 18,5 milhões) na temporada passada. / J.C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.