''''É preciso estar no lugar certo, na hora certa''''

ENTREVISTA[br][br]Kimi Raikkonen: piloto da Ferrari

Valéria Zukeran, O Estadao de S.Paulo

22 de outubro de 2007 | 00h00

Dificuldades não faltaram para Kimi Raikkonen nesta temporada. Depois de cinco anos na McLaren, sem nenhum título e com fama de pé-frio, o piloto chegou à Ferrari para ocupar a vaga que era de ninguém menos que Michael Schumacher. O piloto finlandês ainda tinha em Felipe Massa, muito mais adaptado à escuderia de Maranello, um difícil rival na equipe.Mas o piloto não desanimou e, apesar de ter entrado na última corrida em desvantagem contra Fernando Alonso e Lewis Hamilton, da McLaren, foi recompensado ontem com a vitória no GP do Brasil de Fórmula 1 e a conquista do Mundial de Pilotos que lhe escapou por pouco em 2003 e 2005. Não parou por aí: o resultado o colocou em posição de respeito na Itália. Antes dele, somente o lendário Juan Manuel Fangio havia sido campeão em sua primeira temporada de Ferrari.Título como o conquistado por Raikkonen ontem, porém, vale mais do que qualquer estatística, qualquer marca, qualquer fato histórico. Sua vitória, muito improvável, mostrou que nada é impossível no esporte.Em entrevista exclusiva ao Estado, na tarde de quinta-feira, o piloto contou detalhes de sua trajetória na temporada e falou dos projetos para o futuro na Ferrari.Teve dificuldades no início do ano, o que é normal quando se inicia o trabalho em uma nova equipe. Poderia falar sobre isso e contar como superou os desafios que apareceram durante a temporada?Eu não diria que tive dificuldades. Depois da primeira corrida as coisas não andaram exatamente como queríamos, porém ainda consegui alguns pódios e somei alguns pontos. Você tem de ter na cabeça que, para que as coisas saiam como se quer e você vá bem na competição, é preciso trabalhar e tentar algumas coisas novas para encontrar o melhor acerto. Leva um certo tempo até tudo ficar sólido, mas as coisas melhoraram. Quando você consegue o melhor acerto as coisas ficam mais fáceis. Isso é uma coisa básica.Ao sair de um time (Mclaren) para outro (Ferrari) você sentiu um choque muito grande em termos de filosofia técnica?Quando cheguei à Ferrari, vindo da McLaren, vi que as coisas eram completamente diferentes nos procedimentos e equipamentos. A parte da eletrônica da Ferrari, em comparação com a da McLaren, é completamente diferente. Parece diferente já quando você olha no cockpit, quando você pilota e leva um tempo para se acostumar. É uma das coisas que você tem de aprender o mais rápido possível. E você anda mais devagar quando tem uma corrida ou situação difícil. Por exemplo: é mais difícil o acerto com um pneu diferente quando se pilota na chuva. Em qualquer situação é bem mais fácil quando você sabe o que esperar. E basicamente só experiência pode proporcionar isso.A Ferrari é mais uma equipe de Fórmula 1 e só ou é algo diferente?Não acho que seja um mundo diferente em comparação aos outros times. Basicamente nos times de Fórmula 1 a questão é ganhar segundos e trabalhar. A diferença da Ferrari para os outros times é que os fãs funcionam mais como uma família e as coisas são um pouco mais abertas no que diz respeito a você falar as coisas. Também há mais receptividade.A imagem da Ferrari, a lenda, é importante para você?Sem dúvida é parte do time. Eu não sei o quanto é importante, mas quando você pensa na Ferrari como time você lembra de velhos tempos.Você tinha algum tipo de sonho quando era mais novo? Por exemplo, pilotava um carro vermelho?Eu não me lembro. Foi há muito tempo atrás. Mas provavelmente em algum momento eu pilotei uma Ferrari, afinal é um dos times mais antigos, um dos melhores times do mundo e provavelmente o maior da Fórmula 1. Mesmo quando não estava na sua melhor fase era o time no qual todo mundo queria estar. Com certeza é bom fazer parte disso.Você acha que faz parte de um grupo de quatro ou cinco pilotos que está no lugar certo na hora certa?Algumas vezes com certeza. Porque se você não tem o carro certo, não pode ganhar corridas e fazer o seu melhor. Algumas vezes você precisa estar no lugar certo na hora certa e ser escolhido pelo time.A Ferrari é o lugar certo para você ou não?Não sei, mas não tenho dúvidas de que estou bem.Você tem planos para a próxima temporada? Existem coisas que você não conseguiu fazer em 2007 que gostaria de tentar ano que vem?Ainda não porque vai ser preciso ver como vai ser a temporada de inverno (testes de pré-temporada). Vai ser diferente sem o controle de tração, sem os controles de freio. Acho que eles investiram para tornar as corridas mais emocionantes e mais coisas podem acontecer durante a corrida. Mas tenho de ver como vão ser os treinos de inverno para ter uma referência do que fazer na temporada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.