É proibido empatar no duelo de líderes

Fluminense e Corinthians, os melhores até agora, se enfrentam no Engenhão, mas a igualdade pode ser ruim para ambos. Ronaldo mais uma vez fica de fora

Fábio Hecico, Sílvio Barsetti, O Estado de S.Paulo

15 de setembro de 2010 | 00h00

Ainda é cedo para apontar qual time vai ser campeão. Mas há tempos o duelo entre Fluminense e Corinthians, o líder e o segundo colocado, está sendo tratado como "final antecipada" do Brasileiro. O aguardado confronto entre os melhores da competição, donos dos ataques mais efetivos, com elencos caros e estrelas internacionais (Roberto Carlos e Deco, por exemplo) acontece hoje, às 22 horas, no Engenhão, e um resultado que não seja a vitória será ruim para ambos.

Depois de dominarem a tabela por 21 rodadas, Tricolor carioca e Alvinegro paulista deram bobeira nas últimas rodadas e viram Botafogo e Cruzeiro ganharem corpo. A pequena queda de produção fez o empate ser resultado ingrato. Aos líderes, significaria ver vantagem que já foi de 11 pontos para o terceiro colocado poder cair para apenas dois, numa semana que será fechada com clássico diante do Flamengo. Aos corintianos, pode significar cair para a pior posição no Brasileiro - até então figurou entre a ponta e o segundo lugar, mas há risco de "desabar"" para quarto.

Para o Corinthians, o inesperado tropeço diante do Grêmio, por 1 a 0, no sábado, torna a partida desta noite ainda mais decisiva. "Não vale taça, não tem volta olímpica, mas será um jogo de vital importância. A derrota para o Grêmio não estava nos planos, aconteceu, agora precisamos recuperar fora. O mais importante é que, na maratona da competição, ainda estamos com fôlego", afirmou Adilson Batista.

O treinador procura considerar a partida de hoje tão importante como as outras. Mas sabe que não é bem assim. "Evidente que o Fluminense está junto com o Corinthians, brigando na parte de cima, nas primeiras posições e esse será o último confronto. Não tem mais volta, e é importante estar perto, tentando ultrapassá-lo, porque não tem o terceiro confronto", enfatizou.

Adilson novamente fez mistério e escondeu o time - Iarley pode dar lugar a Souza, que treinou ontem. Já Ronaldo está com um edema na panturrilha direita e segue fora da equipe.

Ganhar fora de casa após quatro meses, logo do líder, será a chance de o Corinthians ganhar moral. "Estou tentando desde que saí contra o Avaí, Cruzeiro, com o Palmeiras. É importante vencer fora, o Fluminense adquiriu gordura porque venceu fora, o Cruzeiro e o Botafogo estão chegando com vitórias fora. Vamos tentar vencer lá.""

Jogo especial. O meia Deco, do Flu, definiu a partida desta noite como "especial"". Ele começou no Corinthians e disputou seu primeiro jogo de Brasileiro pelo clube, em 1996 - vitória por 3 a 1, justamente sobre o Tricolor carioca. "Como não tenho ligação com outro clube, este jogo para mim será diferente. Foi no Corinthians que me tornei profissional antes de sair do País. Tenho um carinho pelo clube desde pequeno, mas estou no Fluminense e meus interesses são maiores que os do Corinthians"", disse o jogador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.