Éder Jofre: "Popó ainda não me superou"

O boxeador Acelino ?Popó? Freitas conquistou, na madrugada de domingo, o terceiro cinturão mundial (dois pelos superpenas e um pelos leves) e a 35ª vitória consecutiva na invicta carreira como profissional, mas ainda precisará acumular muitos desafios para superar o lendário Éder Jofre, campeão dos galos de 1960 a 1965, e dos penas, em 1973. A opinião é do próprio Galo de Ouro. ?Ganhei 80 lutas, 53 por nocaute e na minha época só havia um campeão por categoria?, disse o ex-pugilista, de 67 anos, que foi apontado como o nono melhor pugilista em uma eleição da revista The Ring. ?Torço para que ele consiga me superar um dia, mas ainda vai demorar um pouco?, afirmou Éder, que só acompanhou o desempenho do brasileiro no compacto exibido pela Rede Globo na manhã deste domingo. ?Não aguento ficar acordado até tão tarde. O combate teve início às 3 horas. Pelo pouco que viu, Éder aprovou a atuação de Popó entre os leves. ?Ele deve seguir nesta categoria. Estava mais seguro e distribuiu melhor os golpes?, afirmou o eterno campeão.

Agencia Estado,

04 de janeiro de 2004 | 15h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.