Edílson celebra volta ao Grêmio e diz que pode ser um dos líderes do time

De volta ao Grêmio, o lateral-direito Edílson foi apresentado nesta quinta-feira como novo reforço do clube e recebeu a camisa de número 23 das mãos do vice-presidente de futebol Alberto Guerra. Motivado a ser campeão, ele lembrou que esteve presente na conquista do último título do clube, o Campeonato Gaúcho de 2010, e garantiu que está mais maduro para ajudar o time.

Agência Estado, Estadão Conteúdo

19 de maio de 2016 | 13h48

"É um momento de muita alegria, poder voltar ao lugar onde me sinto em casa, onde fui acolhido muito bem em 2010. Hoje, voltar em um momento diferente da minha carreira é importante. Quando cheguei aqui, mais novo, conquistei o Campeonato Gaúcho. Hoje chego mais experiente, já tendo a certeza do que posso fazer e ajudar para que possamos ter um ótimo ano", afirmou.

Edílson defendeu o Grêmio entre 2010 e 2012, tendo uma passagem por empréstimo pelo Atlético Paranaense no período. Depois disso, ele também defendeu o Botafogo e o Corinthians, onde estava desde o início do ano passado, quando foi campeão brasileiro. Reserva de Fagner, nunca conquistou a confiança da torcida, mas era bastante utilizado pelo técnico Tite. Apesar disso, o time paulista não dificultou sua liberação.

De volta ao Rio Grande do Sul, destacou que o conhecimento que possui do clube o ajudará, além de garantir que, aos 29 anos, pode ser um dos líderes do Grêmio em campo. "Desde quando começaram as negociações sobre a minha volta, nem passou nada sobre adaptação ao Grêmio, pois já sei como é. Tem que ter um espírito de luta de entrega. O Grêmio é uma equipe grande e que tem uma história maravilhosa. Lá no Corinthians exercia um papel de liderança, sendo capitão em algumas partidas. Eu venho com o espírito de luta para que as conquistas venham, mesmo sabendo que o desafio é grande. Já vinha atuando e estou pronto para poder jogar", comentou.

No Grêmio, Edílson chega como possível solução para uma posição que tem dado dor de cabeça ao técnico Roger Machado. Wallace Oliveira foi contratado no início deste para assumir a lateral direita, mas sofreu com uma série de lesões e não conseguiu se firmar. Por isso, o volante Ramiro tem atuado improvisado no setor. Agora o treinador poderá colocar Edílson na vaga no time.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.