Edu Dracena, o xerife que comanda os Meninos da Vila

Zagueiro firma-se como um dos líderes da defesa santista e garante que a solidariedade é uma das chaves do sucesso do time

Sanches Filho, O Estado de S.Paulo

25 de abril de 2010 | 00h00

Em 2009, ao perceber que o Palmeiras poderia ser campeão brasileiro ? o que acabou não ocorrendo ?, Vanderlei Luxemburgo, que já estava no Santos, reivindicou um pedaço do título como reconhecimento do seu trabalho na montagem do time. Agora, com razão, o badalado treinador pode fazer o mesmo em relação ao Santos.

Afinal, foi ele que indicou o mais importante jogador da defesa da equipe que está perto de ganhar o 18.º título paulista: Edu Dracena.

No ano passado, o zagueiro recuperava-se de cirurgia no joelho quando chegou ao Santos e disputou apenas poucos minutos de dois jogos. Fez trabalho especial de condicionamento no início desta temporada e foi um dos últimos jogadores importantes a estrear no Santos de Dorival Júnior, que tem uma nova espinha dorsal: ele, Arouca, Ganso e André ou Robinho.

A confiança do treinador na sua defesa é tão grande que até imagina ser possível o Santos ficar com a faixa de campeão não tomando gols nos dois jogos da decisão. "É lógico que Dorival falando isso, para nós da defesa, é motivo de orgulho. Ele demonstra que sabe que pode confiar na defesa. Isso é a melhor recompensa que o jogador pode ter.""

Ele destacou que um dos segredos da tranquilidade dos defensores santistas é o trabalho forte realizado nos primeiros três meses do ano. "Por isso, sempre que o Dorival dependeu da defesa, nós demos conta do recado"", emendou o xerife santista.

Tríplice coroa. Aos 29 anos, Edu Dracena lembra com saudade da conquista da tríplice coroa (Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil e Campeonato Mineiro) com o Cruzeiro, em 2003, e vê semelhança entre a terceira geração dos Meninos da Vila Belmiro e o timaço montado por Luxemburgo.

"Como no Cruzeiro de 2003, nesse Santos também as peças foram se encaixando no dia a dia até se tornar o time forte, no qual um se doa pelo outro. Agora falta ganhar um título para dar tranquilidade no prosseguimento do trabalho"", considera. "E, de uma coisa, o torcedor pode ter certeza: o Santos vai brigar pelo título em qualquer competição que disputar neste ano.""

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.