Edu Dracena só volta a jogar em 2013

Capitão santista rompeu os ligamentos do joelho esquerdo e passa por cirurgia amanhã com o médico Joaquim Grava

SANCHES FILHO / SANTOS , ESPECIAL PARA O ESTADO , O Estado de S.Paulo

20 de julho de 2012 | 03h09

O ano de 2012 acabou para Edu Dracena. O capitão, líder e atual vice-artilheiro do Santos será operado amanhã no Hospital São Luís para refazer o ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo e ficará em recuperação entre seis e oito meses. O drama de zagueiro só não foi maior porque pelo menos nos três próximos anos o seu futuro está garantido. Horas antes de sofrer a segunda grave lesão de sua carreira, Dracena aceitou a proposta da diretoria para antecipar a renovação do contrato até dezembro de 2015. O documento foi assinado ontem cedo no Centro de Treinamento Rei Pelé.

"Examinamos Dracena na beira do campo e já percebemos que havia a instabilidade no seu joelho, uma das características desse tipo de lesão. Uma ressonância confirmou o processo", disse o médico Maurício Zenaide.

Dracena foi contratado do Fenerbahçe, da Turquia, em setembro de 2009, indicado por Vanderlei Luxemburgo, quatro meses depois de operado por Joaquim Grava para reconstituir o ligamento anterior do joelho direito. A cirurgia de amanhã também será feita por Grava, a pedido do zagueiro.

Dracena torceu o joelho aos 9 minutos do jogo em que Santos e Botafogo empataram por 0 a 0.

"Notícia ruim, ele tem o comando do grupo, passa confiança e é respeitado por todos. Além disso, estava em excelente fase. Darei o máximo para substituí-lo bem", disse Bruno Rodrigo.

Enfim, reforço. O nome que o Santos tanto escondeu para a meia é Patrício Julián Rodríguez, conhecido como Pato ou Patito no futebol argentino, descrito por Muricy Ramalho como armador de velocidade.

Ele tem 22 anos, 1,70 m, e confirmou ontem pelo Twitter que está contratado e que viajou para São Paulo para fazer exames médicos. Nenhum dirigente santista confirmou o acerto ontem.

De acordo com a imprensa argentina, o Santos vai pagar US$ 2 milhões (R$ 4 mi) por 50% dos direitos do jogador ao Independiente. "Vou jogar com a camisa 11 que o Neymar me deu", declarou, em tom de brincadeira, à Rádio Rivadavia, da Argentina.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.