Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

AO VIVO

Confira tudo sobre a Copa do Mundo da Rússia 24 horas por dia

Egídio elogia Borja e espera ajudar ainda mais seu companheiro

Lateral do Palmeiras garante ter ficado feliz com desempenho do colombiano contra o Cruzeiro

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

31 Outubro 2017 | 17h52

O lateral-esquerdo Egídio enalteceu o talento do atacante Miguel Borja, que marcou os dois gols do Palmeiras no empate por 2 a 2 com o Cruzeiro, na segunda-feira, no fechamento da 31ª rodada do Campeonato Brasileiro. O jogador conta que o colombiano sempre recebeu o carinho do grupo e que todos ficaram felizes pelo bom rendimento do artilheiro.

+ Veja mais notícias do Palmeiras

"Estamos realmente felizes com o Borja. Nunca largamos ele de lado, pelo contrário. Dessa vez, ele vem fazendo gols e nos ajudando. Ele mostrou vontade, roubou uma bola que parecia perdida, quase saiu gol nosso", afirmou Egídio, que sempre que pode tenta ajudar seu companheiro.

Por jogar pelo lado do campo, Egídio revela que costuma falar com Borja para entender a melhor forma de ajudar o atacante a balançar as redes. "Converso com ele também e pergunto onde ele quer a bola. Eu quero sempre ajudar, não só ele, como cada um dos outros jogadores. Assim se faz um grupo unido e um elenco forte", disse.

A maior lamentação de Egídio foi não ter conseguido ajudar o Palmeiras a diminuir ainda mais a diferença para o líder Corinthians, que tem cinco pontos de vantagem na ponta do Brasileirão. Por isso o empate com o Cruzeiro deixou um gosto amargo para os palmeirenses nessa briga pelo título, mas um sabor melhor pela reação do time na partida e possibilidade de enfrentar o rival no domingo.

"Neste momento, nós poderíamos ter diminuído ainda mais a vantagem do líder, mas o empate no modo geral não foi ruim. Saímos atrás duas vezes no placar e mostramos nossa força de buscar o resultado. Lutamos até o fim. Querendo ou não, diminuímos a pontuação do líder e agora vamos trabalhar para fazer um grande clássico e, quem sabe, diminuir ainda mais", avisou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.