Dmitry Lovetsky/AP
Dmitry Lovetsky/AP

Egito surpreende e ganha medalha de prata na esgrima

Aos 21 anos, Alaaeldin Abouelkassem é o primeiro atleta da história do país a subir no pódio na modalidade

O Estado de S. Paulo

31 de julho de 2012 | 17h29

LONDRES - Na final do florete individual, a China somou nesta terça-feira a sua 11ª medalha de ouro na Olimpíada de Londres, mas foi o Egito que comemorou uma conquista inédita na prova. O canhoto Alaaeldin Abouelkassem, de 21 anos, é o primeiro egípcio a conquistar uma medalha olímpica na esgrima.

O atleta egípcio perdeu para o chinês Sheng Lei por 15 a 13 na final, mas subiu ao pódio do florete. O bronze da competição ficou com o sul-coreano Byungchul Choi, que bateu o italiano Andrea Baldini na disputa do terceiro lugar.

Graças à conquista desta terça-feira, o Egito estreou no quadro de medalhas de Londres. E Abouelkassem ainda deve competir novamente no dia 5 de agosto, na categoria florete por equipes, em estreia contra a Grã-Bretanha.

Com pouca tradição olímpica, os maiores trunfos do Egito na história são o levantamento de peso e as lutas, que, juntos, são responsáveis pelas sete medalhas de ouro que o país acumula em Jogos Olímpicos. Das 19 olimpíadas anteriores das quais o Egito participou, 11 terminaram sem que o país africano conquistasse medalha alguma.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.