Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

El Guerrouj dá show nos 1.500 metros

A música do filme Super-Homem fechou a prova dos 1.500 metros, nesta quarta-feira, no Stade de France, no Mundial de Paris - os organizadores têm usado, com sucesso, temas de grandes produções do cinema para envolver o público que lota o estádio. Mais que adequado para destacar a vitória e o tetracampeonato mundial do marroquino Hicham El Guerrouj, com o tempo de 3min31s77. O público torceu muito pelo francês Mehdi Baala, acompanhado, a cada volta, pelos flashs das máquinas fotográficas que iluminaram o estádio. Mas o meio-fundista teve de se conformar com a medalha de prata, com 3min32s31. El Guerrouj, aos 29 anos, de 1,76 m e 58 quilos, assumiu a ponta nos primeiros 400 metros para não perder mais. A medalha de bronze ficou com o ucraniano Ivan Heshko, com 3min33s17.A arremessadora do peso, Elisângela Adriano, do Brasil, obteve nesta quarta-feira a melhor marca em sua quinta participação em mundiais - foi 9ª, com 18,11 metros. "Passei de 11°, que era a minha melhor colocação, para o 9° lugar. Subi dois postos."Apesar disso, Elisângela perdeu a chance de ficar em 8° lugar, quando a italiana Assunta Legnante, com o terceiro arremesso de 18,28 m, a ultrapassou na prova - nesse momento, as quatro últimas deixaram o campo enquanto as oito primeiras seguiram na disputa pela decisão das medalhas, ganhas por Svetlana Krivelyova, da Rússia (20,63 m), Nadezhda Ostapchuk, da Bielo-Rússia (20,12 m), e Vita Pavlysh, da Ucrânia (20,08 m). "Nunca estive tão perto de ficar entre as oito primeiras do mundo", disse Elisângela, de 31 anos, que dedicou toda sua vida ao atletismo - compete desde os 11 anos - e, além da colocação histórica, perdeu o prêmio de US$ 4 mil, reservado ao oitavo colocado no Mundial. "Eu sempre entro na prova para fazer o meu melhor no dia. Pena. Mas aqui...até a campeã olímpica (a alemã Astrid Kumbernuss), ficou fora na desqualificação."Fim da linha - O velocista Cláudio Roberto Souza não passou das quartas-de-final dos 200 m, nesta quarta-feira. Com o tempo de 20s82, devido a uma curva mal feita que permitiu aos rivais passá-lo na reta, ficou na 30ª posição.

Agencia Estado,

27 de agosto de 2003 | 18h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.