Eldorado-Brasilis larga amanhã em Vitória

Dezoito veleiros largam amanhã, às 12h30, em frente do pier 2, da Praia de Camburi, em Vitória, para a quinta edição da Eldorado-Brasilis, a maior regata de vela oceânica do Brasil. Dos vinte veleiros inscritos, dois barcos desistiram da prova: o "Namaste 1", que teve problemas com peças quebradas e o "Votu", que não havia atracado no Iate Clube de Vitória nesta sexta-feira. A flotilha seguirá para a Ilha de Trindade, o ponto mais distante da costa brasileira (1.168 quilômetros), retornando a Vitória - são 1.260 milhas náuticas de prova, cerca de 2.336 quilômetros. A viagem dura cerca de dez dias. As embarcações estarão competindo nas classes IMS, RGS, Multicasco e Bico de Proa. A novidade deste ano é a classe Fórmula Eldorado, na qual dois barcos rigorosamente iguais, de alumínio e 42 pés, competem entre si: o "Vininautos Nanuk" e "Vininautos Planckton", ambos construídos pelo belga Thierry Stump, responsável também pela construção do Paratii 2, de Amyr Klink e, pelo menos, outros 70 barcos. Outra atração da regata é a participação do catamarã "Supernova", de 54 pés, a motor e de alumínio, do engenheiro Oscar Müller, que substituirá o rebocador "Tridente" da Marinha do Brasil. Na véspera da largada, os tripulantes aproveitaram o dia para cuidar dos últimos ajustes dos barcos, no Iate Clube de Vitória. "O barco está pronto, só estão faltando os ajustes finos das velas", disse Nádia Megonn, capitã do barco "Vininautos Nanuk". Nádia foi a terceira colocada na última edição, com o "Daslu/Telecom Portugal", uma tripulação só de mulheres. E está entusiasmada com a nova disputa. "O nosso barco é perfeito para esse tipo de travessia e está muito veloz. Mas não dá para pensar em vencer a regata, porque o barco saiu do estaleiro em outubro e ainda não o conhecemos muito bem. Nossa maior objetivo é vencer o barco vizinho (Vininautos Planckton)", disse Nádia. Na classificação geral, Nádia espera chegar entre os cinco primeiros." Fábio Gandelman, comandante do "Viniautos Planckton" e Paulo Rodrigues, o Pêra, tripulante do mesmo barco e um dos donos da escola de vela BL3 trouxeram uma novidade para esta edição. Convidaram cinco alunos da BL3 para particpar da prova. "A iniciativa da BL3 foi maravilhosa, será a maior aventura da minha vida. Estou ansioso, mas sei que estou em boas mãos", disse Júlio Arruda, cardiologista e velejador nas horas vagas. Depois de acertarem os detalhes técnicos, as equipes zarparam hoje para a Volta de Taputera (desfile de apresentação dos barcos), regata de 3 milhas náuticas, em que os barcos velejam pelo Canal de Vitória e contornam uma pedra submersa próxima ao porto de Vitória. Sob uma chuva fraca, as tripulações enfrentaram o forte vento sul entre 15 e 20 nós. Segundo a organização do evento, amanhã, os ventos devem aumentar, chegando a 25 nós. A previsão do tempo é ideal para o barco "OI/Nokia/Sorsa", de 43 pés, do carioca Eduardo Penido, que participará pela primeira vez da Eldorado-Brasilis. "Se os ventos continuarem como hoje terei grandes chances de bater o recorde da competição, porque o meu barco é muito leve. Quanto mais vento, melhor", disse Penido, campeão olímpico, em Moscou/1980, da classe 470, ao lado de Marcos Soares. O recorde da prova foi estabelecido, em 2001, pelo "Touché" (181h49min), de Ernesto Breda. A quinta edição da Eldorado-Brasilis, com patrocínio de Cenoura e Bronze e Petrobrás Distribuidora, é uma realização da Rádio Eldorado.

Agencia Estado,

16 de janeiro de 2004 | 17h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.