Eldorado-Brasilis: últimos ajustes

A pouco mais de um mês da quinta edição da Eldorado-Brasilis - maior regata de vela oceânica do Brasil - , com largada em 17 de janeiro no litoral do Espírito Santo, as tripulações fazem os últimos ajustes. A prova já tem 18 veleiros inscritos. O "Vininautos Nanuk", barco de alumínio e 42 pés, projetado pelo belga Thierry Stump, de 51 anos, responsável pela construção de pelo menos 70 barcos ("Paratii 2", de Amyr Klink, e "Kotick", de Oleg Bely) já está em Ilhabela para os últimos ajustes. "Estamos fazendo os testes de vela e mastro", disse Stump. O veleiro partiu há uma semana do Pier 26, no Guarujá para o Iate Clube de Ilhabela. Nádia Megonn, capitã do barco e braço direito de Thierry, participará pela quarta vez da Eldorado-Brasilis. Na edição passada, Nádia correu no "Daslu/Telecom Portugal Brasil", com tripulação só de mulheres, que terminou em terceiro lugar. "Temos barco para bater o recorde do ?Touché?", fala Nádia. Ernesto Breda estabeleceu o recorde em 2001. Percorreu as 1.260 milhas náuticas (cerca de 2.300 quilômetros) em 181h49. "O barco está muito rápido para pouco vento. Tudo vai depender das condições climáticas. Fizemos a viagem Guarujá-Ilhabela em seis horas. Geralmente demoramos oito", diz Nádia. Já Thierry prefere ser mais cauteloso: "Temos possibilidades de bater o recorde, mas prefiro não ser otimista." A competição terá uma nova disputa. O "Vininautos Nanuk" e o "Vininautos Planckton", ambos construídos por Stump, participarão da Fórmula Eldorado. O barco "Planckton", é do advogado Fábio Gandelman, que fará a sua estréia na Eldorado-Brasilis. "Já tenho experiência em travessias longas. Atravessei o Atlântico em 2001. Esta será a primeira vez que competirei com o meu barco." Na tripulação do "Planckton" participarão alunos da BL-3, escola de vela de Ilhabela, onde Fábio dá aulas. "Eles estão animados e vão participar da regata como se fosse um curso avançado de vela", disse Fábio. Além dos cinco alunos e Fábio, disputam Marcão (responsável pela instalação elétrica do barco) e Paulo Rodrigues, um dos donos da BL-3. Após a regata, Fábio largará Direito para morar no "Planckton". "Desde criança tenho o sonho de dar a volta ao mundo e desde a minha primeira viagem à Antártida percebi que isso seria viável." O rebocador da Marinha não será usado nesta edição, por falta de óleo. Para substituí-lo, Thierry construiu o catamarã "Supernova", de 54 pés, do engenheiro Oscar Müller. "O catamarã é a motor e todo de alumínio. O barco tem capacidade para 60 pessoas, mas apenas 12 participarão da regata. Dois médicos, dois marinheiros e repórteres", conta Thierry. A tripulação do "Vininautos Nanuk", que além de Nádia, Thierry e Vinícius (filho de Thierry), conta ainda com Gaby, North Sails (marca de vela) e com o repórter Fernando Solano, da Rádio Eldorado, chegará em Vitória entre os dias 9 e 10 para participar da Vitória Nautishow, primeira feira náutica do Espírito Santo - entre 9 e 18 de janeiro. A feira terá 54 estandes de equipamentos náuticos, festival de frutos do mar e desfile de moda náutica. Além disso, os visitantes poderão conferir os veleiros que participarão da Eldorado-Brasilis. Lars Grael, secretário estadual de Juventude, Esporte e Lazer, e o velejador Marcelo Ferreira, proeiro de Torben Grael, darão palestras sobre esportes náuticos e aulas para os alunos do Projeto Grael. A quinta edição da Eldorado Brasilis, com patrocínio do Cenoura e Bronze, é uma realização da Rádio Eldorado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.